JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 16 de maio de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas.

Outros Articulistas

2022, o ano da independência!

Chegamos a 2022.
Com pandemia, com chuvarada e com enchentes.
Com altas nos preços, com politicagem e com fake news. Enfim chegamos em 2022.
Exatamente duzentos anos atrás, os portugueses que viram a Corte Portuguesa, a elite e os capitais migrarem para o Brasil em 1807, fugindo de Napoleão Bonaparte, estavam alvoroçados e exigiam o retorno de Pedro, Príncipe Regente do Brasil.
A realidade brasileira, 200 anos atrás, era de muitas limitações. Intrigas políticas, muita mentira e muita fofoca. As poucas cidades eram carentes de saneamento, a saúde ia como dava e no verão era muita chuva. Nada muito diferente de hoje.
O povo trabalhava e lutava para viver e sobreviver.
O campo político estava em efervescência. Interesses maiores estavam na pauta junto com Constituição, aclamação de Pedro como Imperador e a iminente independência de Portugal. A sequência da história todos sabem. O ápice aconteceu entre agosto e o simbólico Sete de Setembro.
Talvez a melhor forma para você buscar a liberdade é proclamar em sua vida a simplicidade. Isto não significa dizer que você deverá morar no meio do mato como um ermitão. Mas sim que você deve desapegar daquilo que o ocupa desnecessariamente, daquilo que o consome. Aproveite este ano histórico e dê o seu grito de liberdade. Busque aquilo que lhe dá prazer, aquilo que lhe faz bem para ter uma vida com mais tranquilidade, mais tempo, mais alegria e mais energia.
Tire um tempo para você e reflita:
Onde estou?
Onde quero chegar?
O que realmente importa?
Defina uma rota e siga neste caminho, buscando paz, saúde e alegria.
Desejo que neste ano você, de maneira maiúscula, viva 22. Como fez Dom Pedro há 200 anos, dê uma virada de mesa, assuma os riscos para enfim ter mais autonomia, mais liberdade e mais felicidade.
Feliz ano novo! Feliz vida nova!

Fulvio Ferreira
Empresário, palestrante e treinador de equipes

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia