JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 04 de dezembro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Karim Abud Mauad

Emprego, saúde e o amanhã!

Alguns temas são muito caros aos brasileiros hoje, tais como emprego, saúde e as dúvidas sobre o amanhã.

O país, antes da pandemia, vinha de quinquênio muito difícil na economia, com o desemprego crescendo, as vagas se fechando e a necessidade de empreender, mesmo despreparado para entender as nuances de um negócio formal ou informal.

Neste diapasão, a esperança criada em 2019 foi atropelada pelo coronavírus, em 2020 e 2021. Aqui cabe ressaltar que entre os picos do período viral experimentamos recuperações no final de 2020 e temos números macro bem interessantes neste 2021, resguardadas as limitações sanitárias. O problema maior é que a realidade anterior de melhora nestes fatores contrastava com a necessidade de prepararmos a população para os desafios da empregabilidade e os novos tempos, com a indústria 4.0 (tecnologia/automação digital/inteligência artificial/internet das coisas) e já caminhando para o 5.0 (tecnologia/uso dos recursos naturais de forma responsável e sustentável). O Brasil segura sua economia como exportador de commodities (grãos e minérios preponderantemente), isto tudo somado, aliado ao fator educação, notadamente educação profissionalizante nos dificulta preparar nossa mão de obra para estas novas oportunidades. As escolas fechadas e a falta de perspectiva desta retomada apenas vai aprofundar e escancarar nossas fragilidades competitivas e a geração destes postos de trabalho qualificados. Enfrentar sem melindres esta realidade melhoraria a expectativa da nossa atividade laboral, de modo homogêneo para todos.

O quesito saúde, uma preocupação constante desde sempre, deteriorou-se com o vírus da Covid-19. As demandas da população carente, o represamento de atendimentos, consultas e cirurgias do período para priorizar o combate ao desconhecido só agora começa a refluir com a vacinação dos adultos, mesmo que em primeira dose. A forma sem planejamento, de como lidamos com este vácuo, deixa o cidadão muito alarmado com sua saúde física e mental. Enfrentar sem subterfúgios este processo melhoraria a confiança de todos.

A nação se orgulha de dizer que o brasileiro não desiste nunca. O país de fato entre altos e baixos, sempre mais baixos que altos, força a todos a se virarem em busca da sobrevivência. Temos inúmeros exemplos de superação no que tange ao sucesso na educação, nos negócios, na cultura, nos esportes e, ainda assim, somos um povo que busca nunca desamparar o outro. A performance brasileira nos Jogos de Tóquio 2020/2021, que estão acontecendo, demonstra isto de forma clara e cristalina.

A saída seria a união de esforços de nossos governantes, apontando e atuando no caminho certo. Em todas as esferas de poder, nossos representantes deveriam agir para que pudéssemos ter tempo e paz para voltarmos a gerar renda, permitir acesso à saúde de qualidade e, com isto, acreditarmos no amanhã. Numa época em que se fala tanto em Deus, Pátria e Família, seria de bom tom abolir a retórica e preparar os entes federados para encararem estes desafios. Isto pode ser por via eletrônica ou no papel, só não pode ser com Fake News, bravatas e arroubos de cercadinho. O Brasil merece mais.

Encerro desejando aos pais sabedoria para superar este momento e lucidez para encaminhar seus filhos. Feliz dia dos Pais!

 

Karim Abud Mauad

karim.mauad@gmail.com

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia