JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 10 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Valdemar Hial

Os cães de Pavlov

Ivan Pavlov, médico e fisiologista russo, nasceu em 1849 e faleceu em 1936. Foi o criador dos “Reflexos Condicionados”. Recebeu o Prêmio Nobel de medicina e fisiologia, em 1904, por seus trabalhos sobre a relação do sistema nervoso com o sistema digestivo. Usou cães em suas experiências. Notou que os animais salivavam, não apenas quando eram alimentados.

Em um de seus experimentos, Pavlov colocou um cão em um quarto vazio e o alimentou. A seguir, mostrava o alimento e tocava uma sineta. Repetiu essa experiência várias vezes até que o cão salivasse, mesmo na ausência do alimento, apenas ouvindo o pequeno sino. Assim, o cão salivava toda vez que ouvia o som da sineta. Deu a esse fenômeno o nome de “Reflexo Condicionado”.

Pavlov realizou várias outras experiências, sempre utilizando cães. Talvez, a mais estarrecedora de todas seja a que descreverei a seguir: Ele punha o animal para se alimentar, mas antes colocava a pata do cão sobre um braseiro. Após repetir esse processo várias vezes, ele observou que o pobre animal antes de se alimentar, colocava, espontaneamente, sua pata sobre as brasas. O cão, por puro reflexo, se sacrificava a fim de conseguir o alimento.

Conta-se que o grande fisiologista inglês Ernest Starling (1866 – 1927), de fé religiosa fundamentalista, foi convidado para assistir à experiência de Pavlov e ao ver o cão pisar na brasa para se alimentar, teria exclamado: “Agora eu entendo o sacrifício dos Mártires Cristãos!”.

Starling, certamente, se referia aos cristãos do início da era cristã. Os imperadores romanos para se divertirem e tirarem o foco de suas trágicas administrações colocavam os cristãos nas arenas para serem sacrificados, levando o povo ao delírio. Esses cristãos, na esperança de estarem, após a morte, ao lado de Cristo, caminhavam para o sacrifício entoando cânticos de louvor ao Senhor.

Quanto aos cães de Pavlov, eu os incluo entre os Mártires da Ciência.

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia