JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 26 de fevereiro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Esther Luisa Hercos Fatureto

Acordolhar Impotência

A gente estuda, trabalha, paga contas, sonha e planeja... Como a gente planeja!

A vida é feita de planos, como se pudéssemos controlar tudo. Muitos pensam que controlam; que bobinhos eles são!

Nada está sob controle, absolutamente nada.

Ninguém sabe como será o minuto seguinte, nós pouco curtimos o que estamos fazendo e sempre nos preocupamos com o que vamos fazer. De repente, o futuro não chega.

Chega o momento em que não temos capacidade de mudar nada, temos que viver o que a vida nos impõe, bem diferente do que planejamos.
Este momento de impotência acorda o nosso olhar.

Ninguém é poderoso o tempo todo, uma hora a vida grita. Os planos têm que ser mudados, a rota tem que ser redefinida. A sensação de impotência nos coloca de joelhos. Neste momento, ou pedimos ajuda ao Criador, ou sofreremos muito, mas muito mesmo.

Diante da morte do corpo, mil pensamentos surgem, mil palavras que não foram ditas, os carinhos que não foram dados queimam nossas mãos e bocas. Mas a morte é fria.

O que nos resta diante da vontade do Criador? Agradecer, sempre, a cada minuto, pois está sendo feita a vontade Dele, assim na Terra como no Céu. Não é assim que oramos todos os dias?

Deveríamos curtir as pessoas que estão ao nosso lado, dizer o quanto as amamos, abraçá-las e beijá-las. Temos a obrigação de deixar o mundo por onde passarmos, mais alegre e colorido, dando cor ao olhar.

Tudo bem que a morte não é o fim, mas dói não dar mais um beijo, mesmo sabendo que a pessoa amada continua existindo. O que resta são boas lembranças, são as gargalhadas, as guerras de almofadas, as festas, as fotos e o pão de queijo quentinho.

Vai com Deus, minha sogrinha, voa pra um lugar onde suas pernas sejam leves, seus pés sejam fortes, suas mãos voltem a ser ágeis no tricô. Os anjos vão adorar seu doce de leite queimado e seu pão de queijo. Sortudos esses anjos.

Esther Luisa Hercos Fatureto

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia