JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 16 de maio de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas.

Outros Articulistas

Todos somos iguais independente de nossas diferenças

“...pode parecer chocante para alguns de vocês, mas existem mulheres que são motoristas fodas, amam sexo, não querem seu dinheiro e falam exatamente o que pensam...”

Analisando este raciocínio, temos o conceito de “panelinha”, ou seja, algumas pessoas percebem a vantagem em se unirem em uma causa comum e tirarem proveito desta, mesmo que apenas para se autointitularem “sou superior a você”. E isto garante vantagens em meu salário, carro, casa e outras extravagâncias desnecessárias. Sem deixar de mencionar, ainda, que o ser inferior DEVE alimentar com seu esforço os luxos da casta elevada.

Então, vejamos. Alguns que se proclamam superiores resolvem provar que as mulheres dirigem mal. Ou tentam mostrar que pessoas com a pele negra pertencem a uma subclasse, inferior a indivíduos de pele clara. Outra parcela de espertalhões diz que o prazer sexual deve dar-se apenas entre homens e mulheres. Logo, um homem não pode amar ou praticar sexo com outro, cabendo isto também às mulheres. Há até uma célebre frase muito usada por estes hipócritas: “se Deus aceitasse o homossexualismo como normal, teria criado Adão e Ivo”. A distinção entre homens e mulheres existe para a perpetuação da espécie. Não há relação com amor, afetividade. Além do mais, há na natureza homossexualismo entre animais. Ou seja, Deus errou ao construir o mundo; sua obra tem imperfeições que não poderão ser modificadas. Aceitando seu erro, vazou na braquiária e deixou a humanidade, para que se vire sozinha. Estamos órfãos. Sem Deus para dar norte ao homem, este criou Satanás (preconceito). Logo, as doutrinas que ferram a humanidade não são nada mais que obras do homem, contra si mesmo. E o preconceito é o carro-chefe para que o ser humano pratique o canibalismo.

Vejamos, homens de pele clara, olhos azuis são os mais fortes, bonitos, corretos, inteligentes, honestos e outros miúdos de encher linguiça, que fazem deste ser o dono da situação. Caso este mortal se reúna com mais alguns do mesmo biotipo e decidam sobre algo que lhes seja vantajoso, isto poderá ser lei, última palavra e outras ilusões da verdade. Por exemplo, só pessoas deste biotipo podem ser políticos, ou até só estes podem votar e outros absurdos. Em segundo lugar vem a mulher, pele e olhos claros. Ela pode “quase tudo”, desde que não contrarie a vontade do homem logo acima do seu biotipo. E no pé da escada está uma mulher obesa, negra, de idade e outros adjetivos que a denigram. Este ser humano deve sobreviver com as migalhas que caírem dos degraus acima. Segundo a lei do clã, “dos Loiros Mor”.

Por que isto? Onde reside a lógica sobre a persuasão que alguns veem como certa? Como crer que alguém pode ser menor em relação ao outro apenas por conta de que ele disse que isto é verdade? “Somos todos o “vice-treco do subtroço”.

Olhando o infinito que o preconceito cobre, podemos ter a mesma ótica sobre negros (a), gays, obesos (as), carecas e outras pessoas que sofrem com os autoproclamados mais que...?

Ninguém, somos todos iguais sob a capa que nos reveste. Apenas diferentes física e culturalmente, porém, iguais em direitos.

Contudo, fazer parte da panelinha é vantajoso. Pode não ser moral, ético, humano, etc. Entretanto, usando deste artifício, o homem superior, a raça ariana e outras miragens de mágicos fraudulentos dominam o mundo com suas verdades incontestáveis.

E muito$ de$te$ ganho$ têm um intere$$e comum.

O escritor do lago
Instagram; Blog: UtopiaxRealidade (Nascendo um mundo melhor)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia