JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 16 de maio de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas.

Outros Articulistas

A importância da fonoaudiologia para o envelhecimento ativo

Como a fonoaudiologia auxilia no combate aos efeitos do envelhecimento? Antes de responder, é interessante identificar alguns sinais de envelhecimento que prejudicam a vida da população idosa. 

Você já observou que alguns idosos sempre pedem para repetir o que acabou de ser dito? Ou que, durante as refeições em família, engasgam ou tossem com frequência enquanto estão se alimentando? Tem também aquele que não consegue lembrar o nome daquele objeto que necessita ou de um parente que sempre participa dos encontros familiares?

A dificuldade para ouvir, a inabilidade para deglutir, a necessidade de ajuda para lembrar nomes e histórias são alguns exemplos dos problemas que atingem as pessoas durante o envelhecimento.

O número de idosos tem crescido de forma significativa em todo o mundo, o que nos leva a refletir sobre a necessidade de oferecer um suporte adequado e especializado para essa população, promovendo políticas públicas que priorizem a educação, a promoção e a prevenção em saúde, para identificar precocemente os prejuízos e fatores de risco que possam trazer transtornos para a pessoa, impedindo-a de viver de maneira independente e autônoma.

Nesse cenário, a fonoaudiologia pode contribuir, pois ela possui uma área de atuação ampla e um trabalho muito importante junto aos que estão na chamada terceira idade. É que os impactos do envelhecimento podem provocar déficits comunicativos, dificuldades nos processos alimentares, perda de audição, alterações na voz, na memória e até no equilíbrio.

O fonoaudiólogo é o profissional que trabalha com todos os aspectos da comunicação humana, incluindo as funções citadas, sendo capaz de trabalhar para amenizar os danos causados por perdas e dificuldades diversas que atrapalham a pessoa a se expressar ou compreender determinada mensagem. Além de fortalecer a musculatura para melhorar a mastigação, deglutição e a fala, o trabalho estimula a memória e a atenção, reabilita a função de equilíbrio, reduzindo os possíveis riscos de quedas e outros, trabalhando para melhorar a qualidade de vida da pessoa. Isso porque quem tem esses tipos de comprometimento pode, além de sofrer com as dificuldades causadas pelo envelhecimento, apresentar problemas sociais e emocionais. É comum encontrar idosos que evitam encontros com familiares e amigos, pois têm dificuldade para ouvir e, em razão disso, há um desconforto. E há casos de idosos que têm a voz fraquinha e as pessoas não entendem o que dizem. Muitas vezes, optam por ficar calados e isolados.

A fonoaudiologia trabalha com estratégias adequadas para que a pessoa tenha um envelhecimento bem-sucedido, caracterizado por baixa suscetibilidade a doenças, elevada capacidade funcional e acompanhado de uma postura ativa perante a vida e a sociedade. 

(*) Fonoaudióloga (CRFa 6-9176) e integra a equipe multiprofissional do Ineps – Instituto de Neurociências Elza dos Passos Silva, com sede em Uberaba (MG)

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia