JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 04 de julho de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas.

Outros Articulistas

Como diminuir pânico causado pela pandemia

Sim, a situação está crítica. O número de casos aumenta a cada dia no Brasil e a OMS (Organização Mundial da Saúde) decretou situação de pandemia. Porém, ao mesmo tempo, a situação crítica tem feito com que muitas pessoas se sintam ansiosas e extremamente preocupadas em função da possibilidade de se contaminar ou da progressão dos sintomas em caso de contaminação. Casos extremos dessa ansiedade e preocupação com saúde são inclusive diagnosticáveis, de acordo com diretrizes de saúde mental, como Transtorno de Ansiedade de Doença.

Nesse momento, portanto, mais do que seguir as orientações para reduzir risco de contaminação, é também importante seguir algumas perspectivas que ajudam no manejo da ansiedade e na diminuição do pânico generalizado causado pela pandemia. Algumas dicas nesse sentido:

• Procure informar-se com notícias confiáveis sobre a situação do vírus em sua região. Fake news tendem a aumentar nossa sensação de vulnerabilidade a partir da superestimação da ameaça.

• Lembre-se que as orientações de prevenção são extremamente simples de ser seguidas e que, mais do que a intensidade dos comportamentos, o que importa nesse caso é a constância deles.

• Evite procurar os serviços de saúde só para se certificar que está tudo bem com você. É importante lembrar que você tem menos probabilidade de ser contaminado em casa do que em um hospital, caso não tenha nenhum sintoma importante.

• Cuide de seu bem-estar e de sua saúde, reforçando cuidados de alimentação, orientações gerais de saúde e hidratação. Isso é algo que está ao seu alcance e pode melhorar muito seu prognóstico.

• Respire e preste atenção em seus pensamentos de ansiedade. Por mais que você se sinta inundado pela sensação de ansiedade, lembre-se de respirar lentamente e observar seus pensamentos, considerando a real ameaça que você está submetido e os seus potenciais recursos para enfrentá-la.

Psicólogo, mestre em Psicologia, doutor em Saúde Mental, especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e consultor em Saúde Mental; integra grupo de profissionais de clínica em Uberaba
 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia
Fechar