JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 04 de julho de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas.

Outros Articulistas

Quais fatores garantem saúde mental na terceira idade?

Quais os fatores estão relacionados ao adoecimento mental? Nesse tribunal, todos os participantes exercem papéis mistos, em que é difícil explicitar quais os vilões universais. Frequentemente observamos que um fator de proteção para saúde mental de alguns e ao mesmo tempo fator de vulnerabilidade para o adoecimento de outros. O fato é que não há idade para ter saúde mental, assim como para adoecer. Porém, alguns fatores relacionados à terceira são importantes de serem destacados para analisar essa questão. 

O primeiro deles é a diminuição da funcionalidade social, parcialmente relacionada à aposentaria ou às mudanças nos papéis sociais exercidos até então. Em muitos cenários, o envelhecer é acompanhado de transformações que levam a pessoa a questionar sua utilidade, seu valor, seu papel. Uma boa maneira de conduzir essas transformações pode levar a uma visão prazerosa e recreativa da terceira idade, levando à reinvenção de ocupações e funcionalidades associadas ao desenvolvimento. Para outros, no enquanto, alguns desses aspectos podem influenciar o desenvolvimento de um senso de inutilidade, como se fosse um fardo a ser carregado.

O segundo deles é um fator que em fases anteriores da vida só é matéria de preocupação para os mais ansiosos, mas que, na medida em que o envelhecer acontece, se torna cada vez mais palpável: a finitude da vida. Enquanto muitos conseguem transformar essa preocupação em combustível para nutrir os anos futuros de vida, muitos a transformam em motor para a desesperança e para a sensação de que nada mais pode ser feito e realizado.

Por último, as mudanças no suporte social. Não raramente, o envelhecer é acompanhado por alterações nas composições dos lares, fazendo com que muitas vezes o idoso se encontre sem a companhia constante dos familiares até então presentes. Para alguns, esse evento é uma oportunidade para viver sem o julgamento de outros as liberdades de uma vida mais privada. Para outros, a solidão se configura como uma das piores características dessa fase de vida, e está intimamente ligada à sensação de que não é mais amado ou querido.

Se não existe um fator decisivo para o adoecimento mental, sabe-se que alguns podem ser para a manutenção da saúde mental. A manutenção do senso de identidade, o fortalecimento da percepção de valor e o afeto genuíno são alguns desses. O acompanhamento profissional atento aos cuidados específicos dessa faixa etária, também. Mas, por fim, independente da mobilidade, manter-se ATIVO. 

(*) Psicólogo, doutor em Saúde Mental (USP) e mestre em psicologia (UFRGS); sócio diretor do Ineps (Instituto de Neurociências Elza dos Passos Silva, em Uberaba)

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia
Fechar