JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 16 de maio de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas.

Outros Articulistas

Jornalismo: mais vivo do que nunca

Muitas vezes não percebemos, mas as técnicas de Jornalismo e Marketing estão cada vez mais mixadas nas Homes pages e time lines. Isso se dá pela necessidade de o Marketing entender que o seu objetivo não é mais apenas vender, mas ressignificar a marca como uma boa informação, entregando, além de produto, propósito ao cliente; e o Jornalismo ser entendido não só como notícia, mas como produto/serviço a ser consumido, oferecendo, acima de tudo, relevância. Hoje é comum a presença de professores ensinando técnicas de jornalismo a publicitários, e técnicas do campo publicitário a jornalistas. 

Na Universidade é apresentado ao futuro jornalista, o desempenho de cada meio de comunicação e como produzir conteúdo jornalístico para cada mídia. Além disso, o aluno é formado para entender a linguagem de cada meio. Porém, todo esse movimento, em território web, é bem mais complexo, uma vez que o usuário também é produtor de conteúdo. Isso quer dizer que um post de notícia, em redes sociais, compete com a foto de filhotinhos de ratos encontrados na casa da vizinha ao lado, com notícias falsas (fake news) e com, mais ou menos, 300 posts, esse é o número de postagens que em média aparece em uma time line por dia.

          É aqui que técnicas de marketing aplicadas ao contexto jornalístico entram em cena. Procedimentos como: (re)conhecer o público-alvo e refiná-lo como buyer persona, que quer dizer cliente ideal; Jornada de consumo de notícias; otimização de sites (notícias) para serem encontrados pelos motores de busca como o Google; técnicas de geração de leads (oportunidade de negócio); e inúmeras outras metodologias necessárias para entregar um conteúdo relevante para a pessoa certa, no momento em que ela está disponível para receber e consumir tal conteúdo. Sim, é complexo! Mas o aluno de jornalismo está sendo formado para lidar com essas técnicas.

          É por isso que muitos jornalistas formados recentemente são bem aceitos nos novos postos de trabalho formatados pela/para web como social media, marketing digital, gerenciamento de redes sociais e sites e muitos outros. E não tenho dúvidas de que outras profissões estão sendo pensadas e formatadas nesse momento.  O diferencial oferecido por esse novo profissional do jornalismo é a entrega de um pacote de características que são inerentes à prática jornalística, e que vem caindo nas graças de um mercado ávido por boas produções de conteúdo. Penso que isso se deve à capacidade de síntese, no olhar atento e sagaz ao que acontece em sua volta e na habilidade e competência em produzir conteúdos em outras mídias, que na Internet são convergentes.  

(*) Jornalista, mestre em educação, professor dos cursos de Jornalismo, Audiovisual e Publicidade e Propaganda da Uniube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia