JM Online

Jornal da Manhã 50 anos

Uberaba, 11 de agosto de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

REGINALDO LEITE

Continua depois da publicidade



# 13 - GP da Hungria - Surpreendente

Max, Lewis e Russell riram quando virão no telão que a Ferrari havia parado Leclerc para colocar compostos duros

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

05/08/2022 - 09:21:41. - Por Reginaldo Baleia Leite Última atualização: 05/08/2022 - 16:43:37.

As corridas em Hungaroring normalmente são tediosas. Uma vez outra, vemos um boa prova neste traçado, já que ele não oferece muitas oportunidades para ultrapassagens. Porém, como toda regra tem exceção, de vez enquanto acontece de tudo sair do normal, como foi a primeira vitória de Button em 2006 debaixo de uma senhora chuva.

Perfeito. Max Verstappen sofreu na classificação por questões mecânicas. Mas a frustração vivida no sábado se transformou em euforia após a bandeira final no domingo. Largando de décimo e com as Ferraris rendendo bem, o muito que ele esperava era o último lugar do pódio. E mais uma vez, a própria Ferrari o ajudou e assim saiu vencedor. Lewis que também foi mau na classificação, devido ao acionamento do DRS, finalizou na P2. Já Russell autor da pole terminou em terceiro. Não me lembro da ultima vez de quando um piloto largando de decimo venceu nesta pista.

Quando escalava o pelotão, Max sofreu com problemas no primeiro terço da etapa, que foi solucionado pela equipe, quando já era P4, atrás de Lewis. Mas nada se iguala à sorte que teve após rodar e não prejudicar seus pneus, algo raro. Para quem não esperava muito do final de semana, essa vitória foi uma redenção. Parabéns Max, mais vez.

Surpresas - Essa etapa foi recheada de situações surpreendentes. A primeira já foi antes da corrida, quando Vettel anunciou que iria se aposentar após essa temporada, sendo que a equipe contava como certa sua renovação de contrato. Vettel detém participação acionária na Aston Martin. Mesmo assim, decidiu que é hora de cuidar de sua vida familiar. Essa decisão do alemão vai desencadear uma série acontecimentos nada previstos.

Surpresas II – No primeiro dia de trabalhos não vimos muitas supressas, a não ser o segundo posto de Norris no segundo treino, enquanto Max fez apenas o quarto tempo. No segundo dia, o TL 3 foi realizado com a pista molhada com uma chuva que vinha e ia. E foi justamente ao final deste treino, que vimos a maior surpresa do final de semana. Latifi, habitué número 1 da última fila nas últimas temporadas, conseguiu o melhor tempo da seção. Fato que surpreendeu a todos sem exceção.

E teve mais. A classificação seguia tranquila com as Ferraris duelando para ver qual delas se sairia melhor. Ao final do Q3 tivemos duas outras surpresas; Max sofreu com problemas em seu carro e finalizou a seção em último, P10. E a primeira posição foi outra surpresa. Russell superou a dupla vermelha que vinha dominando até ali. Russell, Sainz Jr, Leclerc, Norris e Ocon formaram o top 5.

Exigência.
O já polemico e mal falado chefão da Ferrari, Matia Binotto havia declarado antes da corrida que exigia uma dobradinha de seus pilotos e nada mais.

Começo - Após a largada, os 3 primeiros mantiveram suas posições até a volta 16, quando Russell foi aos boxes, já que havia largado com macios. Max também parou nessa volta. Sainz Jr entrou na volta seguinte, mesmo estando com pneus médios. Antes da parada do hispânico, Charles havia colado no companheiro e pedia no rádio que este andasse mais rápido.

Sainz Jr não o fez e nem cedeu sua posição. Formando o segundo erro da equipe em pouco tempo de corrida. Uma vez que se ele deixasse Leclerc passar, poderia aproveitar mais os pneus médios e se dar bem melhor na parte final, ao mesmo tempo Charles ganharia terreno.

No braço –
Leclerc, após as paradas de Russell e Sainz Jr., foi acelerando e melhorando os tempos. No giro 21 realizou sua primeira parada e saiu com médios novamente. Voltou atrás de Russell e à frente do companheiro de equipe e não demorou muito para ultrapassar Russell e abrir vantagem. Leclerc sofreu para superar Russell e quando o fez foi por fora ao final da reta atrasando a freada ao máximo.

Derrubada. Na volta 39, quando era 4º, Max vai aos boxes e sai com os médios. Leclerc tinha 5 segundos de vantagem sobre Russell, o P2. Mercedes e Ferrari reagem e param Russell e Leclerc. O primeiro sai calçado de médios, enquanto o segundo, para alegria da concorrência, sai de pneus duros, a pior combinação do momento, pois estes não funcionariam com a temperatura baixa da pista. E aí, a corrida, que estava nas mãos do monegasco, começou derreter.

Sorte de campeão.
Não demorou e Max ultrapassou Leclerc, que foi perdendo terreno para todos. Uma volta depois, Max rodou, sendo ultrapassado por Charles e Russell. Max voltou com tudo e ganhou essas duas posições e ainda as de Sainz Jr e de Lewis, os líderes naquele momento; que foram obrigados a colocar pneus novos para terminarem. O lance mais incrível de tudo foi Max não estragar seus pneus com aquela rodada e ainda vencer uma corrida que, teoricamente, não tinha chances.

Fogo amigo.
Mas, os gênios de Maranello não pararam por ai e, após quinze voltas com os duros, que seriam para ir até o final, pararam Charles novamente colocando os pneus macios, quando este ainda estava na P3. Certamente perderia essa posição, mas não seria o 6º, como ficou no final. O que demonstrou, novamente, que o maior concorrente do monegasco não é Verstappen e sim sua equipe que, indiretamente, trabalha contra ele.

Salinha –
Naquela salinha, aonde os pilotos que vão ao pódio, se hidratar os três: Max, Lewis e Russell riram quando virão no telão que a Ferrari havia parado Leclerc para colocar compostos duros. Como disse na coluna passada, a Mercedes não quebra e aos poucos vai encurtando sua diferença para a Ferrari. Ao termino da etapa francesa era de 44 pontos e agora caiu para 30 pontos. Já a vantagem de Max x Leclerc agora soma 80 pontos

Leclerc após a etapa húngara "Não podemos esperar ganhar o campeonato se fizermos corridas assim. Não sei o que dizer, meus pneus médios estavam bons. Tive uma boa sensação. Não entendo”.

• A Fórmula 1 entra de férias até o GP da Bélgica nos dias 26/28 de agosto. Isso não quer dizer que tudo fica em stand by. A aposentadoria de Vettel vem desencadeando uma série de eventos inesperados. Nos bastidores também existem fatos encobertos, equipes contra a FIA. Assuntos que comentaremos futuramente.
 


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia
Fechar