JM Online

Jornal da Manhã 50 anos

Uberaba, 13 de agosto de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

REGINALDO LEITE

Continua depois da publicidade



#8 - GP do Azerbaijão - Festa taurina & freio mexicano

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

16/06/2022 - 07:17:10. - Por Reginaldo Baleia Leite

A oitava etapa do campeonato de F1 de 2022 foi na marcante pista de Baku. É um circuito diferente dos demais em alguns aspectos. O que mais chama a atenção é o fato de não repetir ganhadores desde sua estreia (2016). Marca também por ter um “S” muito estreito (curva do castelinho), a reta de maior extensão. Leclerc quebrou um tabu de Baku neste ano, o de nunca ter um pole repetido, ao assinalar a posição de honra pela segunda vez.

Dobradinha. A equipe taurina foi muito bem na corrida e fez o máximo de pontos possíveis neste final de semana, obtendo o primeiro e segundo lugares, e ainda a melhor volta. Sendo Max o vencedor, seguido pelo parceiro Perez, que também foi autor da melhor volta. Enquanto o maior adversário, Ferrari, zerou em pontos. Um resultado bem diferente daquele mostrado na classificação, onde a F 75 e Leclerc reinaram outra vez. Para judiar coração dos tifloses.
Paixão abalada. Leclerc veio da escolinha da Ferrari e possui uma senhora paixão pela equipe. Como será que se sente Leclerc apos três poles consecutivas dois abandonos devidos a questões técnicas uma vitória perdida pelo turminha que cuida das táticas.

Max Verstappen não teve um bom início de semana em Baku, não figurando entre os ponteiros na sexta-feira e no sábado, sempre atrás do companheiro de equipe e de Leclerc. Já na classificação, liderou a primeira fase, o Q1. Na segunda fase, o Q2, foi Perez quem dominou. Na seção principal, Q3, Leclerc voltou a dominar e anotou a pole, enquanto o valente Perez amargou o segundo posto, seguido de Max e Sainz Jr. Após a classificação, Max declarou que na corrida ele seria muito melhor. Não se importando com a boa atuação de Perez.

*No que diz respeito aos outros pilotos, o melhor foi Russell, na P5, enquanto Lewis anotou a P7. Entre eles, um surpreendente Gasly e sua Alfa Tauri desbancando as demais da meiota.
A corrida. Perez foi muito eficiente tomando a ponta na largada e abrindo bem em relação aos demais. Na 10º volta, Leclerc realiza sua primeira parada, ação que foi acompanhada por outros 9 pilotos. Quando os principais rivais param, ele alcançou a liderança (Perez na volta 16 e Max na 18). Porém, sua corrida terminou na volta 20 com uma pane mecânica.

Quieta. Perez assumiu a liderança, seguido de Max. Não demorou muito para o campeão chegar ao companheiro e assumir a ponta, de onde não sairia até o final. A aproximação de Verstappen não foi percebida pela turma da transmissão, que estava falando de pilotos que disputavam a décima posição, e também não notou a comunicação via radio para Perez “NO FIGHTING”, acabando ali com qualquer desejo do mexicano de repetir sua vitória. Russell, Hamilton e Gasly completaram o top Five.

O momento que não gostaríamos de rever na categoria

Vergonhoso. A Liberty Media, após assumir o comando da F1, tem feito um grande esforço para melhorar a imagem da categoria junto ao publico e usa e abusam da mídia eletrônica e via além com mudanças de regulamento e outras ações, que melhoraram o interesse e a audiência da maior modalidade de automobilismo do mundo. Mas, são antigas práticas dentro dos boxes que mancham a reputação desse esporte. Afastando aqueles que realmente querer ver disputas na pista, ou seja, os velhos amantes do mundo da velocidade, e não de politicas internas de algumas equipes. O interessante é que, a equipe taurina, até 2010, deixava seus pilotos livres para disputar.

Flashes. Numa etapa em circuito de rua, fazer a pole é o sonho de todos os pilotos. No entanto, Baku é um circuito de rua com alguns pontos de ultrapassagens, e o monegasco da Ferrari conseguiu fazer mais uma pole, sua sexta em 2022. Nos treinos de sexta-feira e sábado, notamos que as duas principais equipes do momento estavam meio que parelhas em performance nas simulações de corrida. Com uma leve vantagem para os taurinos.

Sofredor. Leclerc vem conseguindo levar o carro vermelho no melhor lugar possível, enquanto Sainz Jr luta para se entender com o carro e é dono de uma senhora fase ruim. Mesmo sendo rápido, Leclerc vem sofrendo com falhas de equipamento e erros táticos da equipe italiana, e assim vai perdendo pontos e confiança na equipe.
Da parte dele, em oito etapas, cometeu dois pequenos erros; Sam Marino e o último na largada de Baku. Já da parte da equipe, os números são maiores. Fora a situação vivida em Mônaco. Não é nada fácil a vida dentro da equipe vermelha.

Ajustes. Em Baku, tanto a Ferrari e quanto a Red Bull, mudaram suas configurações após o TL 1, para melhorar nos setores em que perdiam uma para a outra, perdendo um pouco naqueles que dominavam e melhorando naqueles que estavam deficientes. E, então, conseguir o equilibrar a performance ideal para as duas. A Mercedes continua seu calvário. Testou várias alternativas nos treinos e mesmo assim está muito longe dos ponteiros. Russell consegue extrair o melhor desse carro de 2022. Já Lewis vem sofrendo muito, pois desacostumou-se a pilotar carros ruins.

Após oito etapas, de um total de 22, vemos que não demorou muito para que a equipe taurina resolvesse suas deficiências, não sofrendo quebras e permanecendo rápidos, enquanto os vermelhos começaram a ser frágeis e ainda consumindo pneus prematuramente. E não são só os carros da equipe italiana que estão padecendo. As equipes clientes da Ferrari, Alfa Romeu e Hass, também andam sofrendo com algum tipo de deficiência no Power Train italiano. Se os italianos não conseguirem virar esta situação logo, veremos o antigo script, no qual apenas uma equipe é vencedora. Isso tudo num campeonato que começou com ótimas disputas.


 

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia
Fechar