JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 19 de fevereiro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SOBRE RODAS

Rota 2030 traz nova legislação em setembro

Última atualização: 16/09/2017 - 16:13:56.


O Rota 2030, conjunto de regras que vai guiar a indústria automotiva a partir de 2018, não planeja qualquer ação mais consistente com o carro elétrico

NA semana passada, o site Automotive Business publicou uma importante matéria sobre o programa “Rota 2030”. Ele será um conjunto de regras que vai guiar a indústria automotiva nos próximos anos e terá aspectos tributários definidos até o fim de setembro.

FIM DO IPI
ADICIONAL

“Em breve sairá a medida provisória com alterações legais e o decreto virá até o fim do mês”, conta Luiz Miguel Falcão, coordenador da Secretaria de Desenvolvimento e Competitividade Industrial do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Falcão está envolvido no desenho do programa e confirma que, a partir de janeiro de 2018, terminará a cobrança do IPI adicional de 30 pontos porcentuais que serviu de base para a construção das regras do Inovar-Auto, que vale até o fim de 2017. Ele diz que a alíquota deve voltar a ser cobrada apenas com base na cilindrada do carro, e não por eficiência energética, como se especulou anteriormente. “É uma ideia interessante, mas muito complexa, porque estaria relacionada também ao volume de vendas dos carros. Por isso, deve ficar para o médio prazo”, esclarece.

NÃO AO
CARRO ELÉTRICO

Ele explica, ainda, que o Brasil não planeja qualquer ação consistente pelo veículo elétrico. O Rota 2030, conjunto de regras que está em formulação e vai guiar a indústria automotiva a partir de 2018, não deve trazer nenhuma novidade nessa área. Outra medida que deve ser lançada com o programa é um modelo de cooperação entre montadora, sistemistas e o governo para oferecer consultoria às pequenas e médias empresas em gestão, custos, treinamento, entre outros aspectos. Isso seria, de fato, um suporte das grandes companhias às menores, com os custos rateados e, portanto, mais acessíveis.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia