JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 23 de setembro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Família Agnelli, dona da FCA, quer juntar Cristiano Ronaldo e Lionel Messi na Juventus

06/08/2020 - 12:11:46. Última atualização: 06/08/2020 - 12:13:36.


Da Redação e Autoesporte

Foto: Twitter


O sonho de juntar Messi e Cristiano Ronaldo na Juventus da Itália é do presidente da FCA, (Fiat/Chrysler) Andrea Agnelli. A ideia é fazer da Juve um time vencedor e da FCA, a maior montadora da Europa.

A Revista Autoesporte está publicando esta semana uma matéria muito interessante que envolve os dois maiores jogadores de futebol do mundo na atualidade. Na matéria do jornalista André Schaun, o texto explica que a poderosa família italiana Agnelli, dona do Grupo PSA e consequentemente também dona da Jeep, pensa em formar uma dupla imbatível na arte de fazer gols para o Juventus de Turim e também vender muitos veículos para a FCA.

Apenas para o leitor entender, Cristiano Ronaldo já joga na Juve, cuja patrocinadora é a Jeep. Durante todo este tempo que o gajo está na Itália, a Jeep cresceu como nunca nos últimos anos.

A estratégia de marketing com o português em 2018 e 2019 foi um dos fatores fundamentais para a Jeep conquistar diferentes mercados, principalmente na Europa e na Ásia. As estatísticas não mentem: a marca mais vendida de todo o Grupo FCA no ano de 2019 foi justamente a Jeep. 

Com as especulações da vinda de Messi para o clube italiano em 2021, essa tática de expansão global da marca automotiva pode ganhar um reforço de peso e alcançar outro patamar com as duas lendas juntas dentro campo e o poder de marketing que eles têm fora dele. Tal negociação é um sonho declarado de Andrea Agnelli, presidente do clube de Turim. Mas isso também significa assumir um grande risco. 

Messi pode parecer um jogador discreto fora dos gramados, mas é um dos jogadores que mais lucra com sua imagem. O argentino liderou a lista de jogadores de futebol com maior lucro anual em 2019, de acordo com a tradicional revista France Football. Nesses ganhos estão inclusos salários e ganhos publicitários, como os contratos com as empresas de material esportivo. Cristiano Ronaldo é o segundo no ranking, escreveu a Autoesporte

OS RISCOS DO NEGÓCIO

Mas o fim de contrato do argentino com o Barça não significa necessariamente que os custos da negociação serão baixos. Cristiano Ronaldo recebe 31 milhões de euros da Juventus por temporada, ou R$ 194 milhões, enquanto Messi no Barcelona tem rendimentos de 26 milhões de euros, ou R$ 162,7 milhões. Certamente o argentino não viria para receber o mesmo salário ou um valor inferior ao recebido atualmente, o que também refletiria em um possível aumento de salário para CR7.

Contratar Messi significa assumir um risco tão grande quanto o investimento em CR7. Como os números mostraram, o interesse de Agnelli com o português também é extracampo, e por enquanto, a Jeep vem batendo recordes de vendas com alguma contribuição do português, que também é usado em campanha de marketing. Dentro das quatro linhas, a soberania da Juventus na Itália ainda não se refletiu em competições europeias: a equipe venceu apenas duas vezes a Liga dos Campeões, sendo o último campeonato conquistado em 1996. 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia