JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 20 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SOBRE RODAS

Preços dos carros nacionais devem aumentar muito a partir de 2022

O preço médio dos carros nacionais deve saltar de 75 mil reais para 85 mil nos próximos anos por causa da oferta crescente de recursos de conforto

12/09/2019 - 00:00:00. Última atualização: 12/09/2019 - 17:20:53.

Foto/reprodução


A chegada de novos veículos que atendam os padrões técnicos de eficiência energética e segurança estabelecidos no Rota 2030 pode ser um dos ingredientes potenciais  para o aumento do preço médio dos carros nos próximos anos

 

O site Automotive Business publicou uma matéria sobre o futuro dos preços dos automóveis no Brasil. Segundo estudo feito pela IHS Markit, uma empresa de serviços de coleta de dados, informações e pesquisa, que atende a uma variedade de setores, incluindo automotivo, indica que o preço do médio carro no Brasil aumentará de forma mais acentuada a partir de 2022.

Na matéria, o Automotive Business explica que o preço do automóvel médio brasileiro hoje gira em torno dos R$75 mil e que este valor cresceu em torno de 20% acima da inflação entre 2013 e 2018.

MAIS EQUIPAMENTOS EMBARCADOS

Contribuíram para isso vários fatores, como a adoção de mais equipamentos por conta da legislação, fim de incentivos fiscais e oferta crescente de recursos de conforto, como câmbio automático, presente agora em cerca da metade da produção brasileira. Também houve mudanças do mix de produtos no País. Para determinar o avanço dos preços de automóveis entre 2013 e 2018, a IHS levou em consideração a maior oferta de utilitários esportivos nas linhas de cada marca. Sabidamente mais caros do que hatches e sedãs, atualmente os SUVs respondem por cerca de um quarto do mercado brasileiro de automóveis, contra fatia de 10% em 2013.

OCIOSIDADE DAS FÁBRICAS

Outro importante aspecto que acelerou os aumentos no período foi a alta ociosidade nas linhas de montagem. Na média, a taxa de ocupação ficou em apenas 54% no auge da crise, bem abaixo dos 67% que se considera ideal para que as empresas não se vejam obrigadas a repassar custos para o cliente final.

MAIOR SEGURANÇA, MAIOR PREÇO

Ainda segundo a matéria, com a chegada de novos veículos que atendam os padrões técnicos de eficiência energética e adoção de sistemas de segurança estabelecidos no Rota 2030 pode aumentar ainda mais o preço médio dos automóveis brasileiros. O programa exigirá a incorporação de equipamentos nos veículos e as montadoras tenderão a repassar os custos, inclusive do desenvolvimento de soluções que propiciem maior eficiência dos motores ao cliente final. Com isso, o valor médio dos carros no Brasil poderá ultrapassar os R$ 85 mil, concluiu a matéria do Automotive Business.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia