JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 18 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SOBRE RODAS

Coluna do Baleia: Avaliação de verão

Foram doze etapas cumpridas no calendário de 2019

24/08/2019 - 00:00:00.

A categoria Rainha, como todos sabem, está curtindo suas férias de verão (verão no hemisfério norte). Sendo assim, nada melhor do que fazer uma avaliação do que foi realizado até aqui. Foram doze etapas cumpridas no calendário de 2019. Equipe por equipe.

Força prateada. A equipe alemã é a equipe a ser batida novamente. Das doze etapas venceu dez. E está na ponta da tabela, como acontece desde o início da “era híbrida”. Na verdade, estão dominando com uma maior facilidade nesta temporada e seu piloto número um, Lewis, até aqui, já acumulou oito vitórias.

Inferno Rosso. A equipe italiana de estrela na pré-temporada virou o maior fiasco até aqui. Se bem que ela foi lesada em duas ocasiões, no Canadá e na Áustria, e ainda perdeu a etapa do Bahrein por uma falha técnica estranha. Desde a entrada de Vettel na equipe, em 2015, não víamos uma primeira metade de temporada sem vitórias na equipe vermelha. Vettel fez seis pódios e Leclerc, cinco. Porém, o alemão viveu uma fase péssima até conseguir o segundo posto no GP alemão, quando largou da última fila. Situação esta que certamente poderá mudar já em 01/09 na belíssima e ótima pista de Spa-Francorchamps, onde a ótima velocidade em reta vai favorecer o carro vermelho.

A Surpresa. A equipe do touro começou o ano como terceira força e sem um grande piloto, que sempre lhe rendeu muitos pontos. Por outro lado, nem mesmo a equipe esperava que o motor Honda fosse tão competitivo como tem se mostrado depois da etapa canadense. A Red Bull ainda ocupa a terceira posição, mas seu número 1 está à frente da dupla vermelha. E, se ainda contasse com Ricciardo, seria a segunda força até aqui.

Primeira da B. No campeonato dos menores, a chamada F1-B, a grande surpresa é a McLaren, que tanto sofreu com a Honda e pulou fora do barco na hora errada. Ao privilegiar Alonso, perdeu os japoneses, e, no fim, também o metido asturiano. Todos achavam que, com unidades de força francesa e sem o hispânico, a equipe seria mais uma figurante. E todos erraram. Sua dupla de pilotos e o carro mostram uma grande evolução.

Touro Mocho. A finada Minardi ocupa a quinta posição na tabela dos construtores. É certo que essa posição é devida ao terceiro posto conquistado por Kwyat na escorregadia etapa alemã. A equipe, apesar de contar com muitas peças da Red Bull e a mesma unidade de força, conta com orçamento muito inferior ao da equipe principal. E não deve segurar essa posição por muito tempo, ainda mais recebendo um Gasly injustiçado e perturbado.

Humilhante. A equipe Renault, depois da Ferrari, é a maior decepção da temporada até aqui. Com a contratação de Ricciardo e forte investimento na área técnica, todos no paddock esperavam ao menos a liderança da F1-B. E atrás da McLaren, uma equipe cliente que não estava nos planos dos franceses e nem na mente da mídia especializada.

ÚNICO. A Alfa Romeo é um caso à parte no paddock. A equipe está com 32 pontos na tabela e ocupa a sétima posição. O diferencial é que desses 32 pontos 31 foram conquistados por Räikkönen. Giovinazzi fez apenas um pontinho. A sorte dele é que só existe um Helmut Marko na F1. O italiano está demorando para se achar no carro. Porém, ninguém nunca falou em substituição.

NA COLA. A oitava colocada na tabela é a finada Force Índia. A Racing Point está a um pontinho da Alfa. A sorte da Alfa é inconstância do carro e de Lance Stroll. Lance tem mais pontos do que Perez devido ao GP Alemão, onde Lance conseguiu um quarto posto, situação quase impossível de se repetir novamente nesta temporada.

GLADIADORES. A Haas é outra que sofre e ocupa uma posição aquém da sua realidade. A dupla de pilotos é uma das razões. Nota-se, porém, que a equipe se perdeu no desenvolvimento do carro no decorrer do campeonato. Na Austrália, primeira do ano, a equipe conseguiu alinhar seus dois carros em sexto e sétimo no grid. Magnussen conseguiu terminar na sexta colocação. Depois disso, a situação nunca se repetiu.

VERGONHOSO. A equipe Williams começou com um péssimo carro e continua assim. Apesar de utilizar a unidade de força alemã e ter pilotos melhores que os da temporada anterior, a tradicional equipe inglesa soma apenas um pontinho.
• A conhecida eficiência alemã deve continuar até o final da temporada. Só para relembrar, Lewis Hamilton costuma realizar uma segunda metade de campeonato melhor que a primeira. Volta das férias com tudo.

Um ótimo fim de semana.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia