JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 29 de julho de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Infectologista tira dúvidas sobre vacinação e prevenção contra Covid-19

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

09/06/2021 - 18:18:08.

Em um cenário sem precedentes, a população precisou reaprender hábitos de higiene e de convívio social. Já se passou mais de um ano desde que a pandemia da Covid-19 impôs um ‘novo normal’ à sociedade. E na mesma proporção em que mais informações surgem sobre o novo coronavírus, uma série de dúvidas também aparece, dificultando ainda mais a separação do que é verdade e o que mito em torno da doença.

Para esclarecer sobre as medidas de segurança e os prazos em torno da vacinação, a infectologista Silvia Fonseca, diretora nacional de Infectologia do Sistema Hapvida/ RN Saúde, destaca algumas perguntas e respostas que têm se tornado comuns nos consultórios. Confira:

Uma mulher lactante, que tenha sido infectada pelo novo coronavírus, pode continuar amamentando?
Pode amamentar, mas sugere-se máscara quando a mãe estiver sintomática por até ficar afebril, e/ou pelo menos sete dias do início de sintomas. Além, é claro, da higienização das mãos imediatamente antes de pegar o bebê.

De quanto em quanto tempo precisamos trocar a máscara?
Máscaras com boa vedação de boca e nariz, íntegra e seca, se de pano com tripla camada, o importante é trocar quando esta ficar úmida ou com esgarçamentos. Se a pessoa tiver acesso a n95, esta filtra mais partículas, e o uso dela é suficiente conforme orientação específica deste modelo. Importante destacar que o uso de máscaras deve acontecer todo o tempo, junto com distanciamento social e higienização das mãos.

Somente a 1° dose da vacina é eficiente contra o vírus? É possível contrair a doença após a imunização?
Para as vacinas disponíveis no Brasil são necessárias duas doses. A vacina não protege totalmente contra a infecção e a doença, mas diminui casos graves e mortes.

Quanto tempo dura a imunidade oferecida pelas vacinas?
Ainda não se sabe quanto tempo dura a imunidade conferida pela vacina ou pela infecção.

As vacinas protegem contra as novas variantes do coronavírus?
Não se sabe se as vacinas protegem contra todas as variantes que ainda surgirão. Até agora, as vacinas disponíveis protegem contra as variantes que já se conhecia, por isso, a importância de se manter os cuidados como o uso de máscaras e o distanciamento social.

Existe diferença na transmissão das novas variantes e elas são mais perigosas para os jovens?
Há variantes de maior transmissibilidade, como a P1 e a indiana, recém-descobertas. Além da chance de serem mais transmissíveis, os jovens estão se expondo mais. Justamente por isso, há muito mais jovens internados e indo a óbito.

Quando se pode considerar que uma pandemia está superada?
Somente quando este vírus parar de circular em todos os países levando a infecção, internações e morte.

Sobre o Sistema Hapvida
Com mais de 7,1 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco, RN Saúde, Medical, Grupo São José Saúde, Grupo Promed além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 37 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 47 hospitais, 201 clínicas médicas, 45 prontos atendimentos, 173 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia