JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 11 de abril de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Dia da Mamografia: Pandemia afeta negativamente diagnóstico precoce do câncer de mama

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

05/02/2021 - 18:12:27. - Por Raiane Duarte Última atualização: 05/02/2021 - 18:19:38.

Foto/Reprodução

A data 05 de fevereiro é marcada pelo Dia Nacional da Mamografia. O exame é essencial para o diagnóstico precoce de câncer de mama. Contudo, com a pandemia, muitas mulheres deixaram de fazer o procedimento, o que impactará nos próximos anos. O mastologista Leandro Facure De Vito explicou a situação.

“As mulheres que deixaram de fazer os exames agora estão voltando à rotina, à vida normal, só que com tumores maiores do que os que poderíamos ter encontrado há um tempo. Então isso vai impactar muito, serão mais quimioterapia e tratamentos agressivos. E, no futuro, utilizaremos um índice que é a sobrevida, nos próximos cinco anos esse índice será alterado, teremos infelizmente casos mais graves e possibilidade de volta da doença mais frequente. O prejuízo não é só agora”, apontou De Vito.  

A pandemia de Covid-19 está interrompendo tratamentos de câncer na metade dos países pesquisados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo estimativa da Fundação do Câncer, com base em dados do Sistema Único de Saúde (SUS), em 2020 houve uma redução de 84% no número de mamografias realizadas no país em comparação com 2019.

Quando descoberto em seu estágio inicial, o câncer de mama tem 90% de chance de cura. A mamografia é uma das formas mais eficazes para detectar a doença na fase inicial e deve ser feita anualmente. No Brasil, uma lei de 2008, atualizada em 2019, garante a realização do exame no SUS a mulheres com mais de 40 anos.

Há outras formas de diagnóstico do câncer de mama além da mamografia, sendo que cada uma há as suas especificações, indicações e deficiências. “Usamos a mamografia para fazer o rastreamento da população, quando encontramos algo podemos usar outro exame, na maioria das vezes é o ultrassom, mas a mamografia vê algumas coisas que o ultrassom não vê, assim como o ultrassom vê coisas que a mamografia não vê e ajuda a determinar alguma dúvida que a mamografia teve. Os dois trabalham em conjunto”. Há ainda a ressonância, que tem indicações específicas, mas não é usada de rotina para todo mundo.  

Sendo hoje o Dia Nacional da Mamografia, é importante fazer um agradecimento aos profissionais que se dedicam na realização do exame e logo no tratamento do câncer de mama. O mastologista ressalta que estão inclusos no processo diversas pessoas; enfermeiras especializadas em mama, médicos radiologistas voltados para essa área e técnicas de mamografia.

"Quero parabenizar! Aqui, pelo menos em Uberaba, temos pessoas fabulosas que nos ajudam sempre e ajudam a desmistificar essa crença de dor na mamografia e de achar que a mamografia pode trazer algum mal”, finaliza.


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia