JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 21 de janeiro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Entenda quais são os riscos das reuniões de final de ano na transmissão do coronavírus

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

23/11/2020 - 00:00:00.

O final do ano se aproxima e com ele surge uma grande questão: Como ficam as comemorações de Natal e Ano Novo com a pandemia da Covid-19? Com intuito de sanar dúvidas e expor os riscos da realização de confraternizações, pesquisadores fizeram uma tabela e publicaram no site The BMJ. O trabalho associa cenários, quantidade de pessoas em cada lugar e uso de máscara aos riscos, que são divididos entre “baixo”, “médio” e “alto”. O estudo considera apenas indivíduos assintomáticos e faz a aferição, também, pelo tempo de contato, se ele será curto ou prolongado.

Quando alguém está em um ambiente com pouca gente, com máscara, por curto tempo: Nesse caso, se ela estiver ao ar livre, com ventilação natural, ou em um interior com circulação considerável de ar, o risco é baixo, mesmo que outras pessoas façam silêncio ou estejam conversando. Em ambientes com baixa ventilação, o risco é menor se quem estiver próximo fizer silêncio ou conversar normalmente. No entanto, se começar uma gritaria ou cantoria, atenção, pois a possibilidade de transmissão sobe para o nível "médio".

Quando o contato é prolongado, com o uso de máscara, porém com pouca gente, o risco se mantém baixo ao ar livre e interior bem ventilado, em casos de silêncio e conversa. Dentro de casa ou em lugar fechado, a tendência de transmissão é maior caso haja grito ou cantoria, ficando em "alerta vermelho" em locais com circulação de ar precária. Com o aumento de pessoas, a chance de transmissão da Covid-19 é maior, de acordo com o estudo.

Ambientes com muita gente: Em lugares ao ar livre e em interiores bem ventilados, caso as pessoas façam silêncio ou conversem normalmente, o risco continua baixo. No entanto, ele aumenta para o nível médio se elas começarem a gritar ou cantar. Em locais com baixa ventilação, nesse caso o risco fica alto, e médio caso não haja diálogo ou que tenha uma simples conversa.

Sem máscara: O risco aumenta significativamente sem o uso de máscara, principalmente em ambiente com muita gente em período de contato prolongado, independentemente do local.

Em ambientes com pouca gente, em curto espaço de tempo, o risco é menor em locais ao ar livre, mesmo que elas estejam conversando. Em caso de gritos ou cantos, o alerta fica médio. Interiores bem ventilados têm risco baixo apenas se todos ficarem em silêncio. Em caso de diálogos, gritos ou cantos, o alerta é amarelo. Ambientes com baixa ventilação precisam de atenção, pois os riscos variam entre médio e máximo, este último se as pessoas falarem em um tom elevado.

Já em locais com muita gente, a maior parte dos ambientes tem alto risco, exceto em lugares ao ar livre, com boa ventilação, se as pessoas estiverem em silêncio ou conversando normalmente. Nesses casos, o risco é médio, assim como em interiores com boa circulação de ar, se todos mantiverem silêncio.

Quando o contato é prolongado em ambientes com pouca gente, o risco é baixo apenas ao ar livre, quando há silêncio. Em locais com muita gente, o risco é alto em todos os cenários, exceto em ambientes abertos, com boa circulação de ar, se não houver diálogo.

*Com informações Estado de Minas


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia