JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 27 de novembro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Harmonização facial: quais são os riscos do procedimento queridinho entre os famosos?

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

22/11/2020 - 00:00:00.

Reprodução


Procura por médicos certificados na área pode evitar desastres estéticos e arrependimento

Ao que tudo indica, a harmonização facial parece ter se tornado a nova mania entre os mais vaidosos. De acordo com o cirurgião plástico Victor Cutait, o procedimento mais comum é feito através da aplicação de ácido hialurônico em regiões específicas como maçãs do rosto, nariz, lábios, mandíbula, e tem objetivo de reverter os efeitos do envelhecimento e realçar a beleza natural de cada pessoa.

“A busca por um padrão de beleza irreal faz com pacientes procurem profissionais sem a devida formação. O que tenho observado com preocupação em minha clínica são casos em que a pessoa chega para a correção de procedimentos verdadeiramente bizarros. Então, percebo que vem acontecendo uma banalização desta técnica por parte de pessoas que parecem não entender a seriedade deste procedimento. Isso é perigoso e coloca a saúde do paciente em risco”, afirma o especialista.

Nos homens, a busca pela harmonização também tem se tornado comum como aconteceu com o humorista Carlinhos Maia e o DJ Alok. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), em cinco anos, o número de procedimentos realizados, apenas em homens, passou de 72 mil para 276 mil ao ano. Segundo o cirurgião plástico Victor Cutait, o número só comprova que a busca por um envelhecimento menos aparente e mais saudável deixou de ser apenas uma moda para se tornar uma tendência.


As técnicas mais comuns para criar um rosto mais harmônico são: o preenchimento com a própria gordura do corpo, o uso de toxina botulínica em rugas, ácido hialurônico para preenchimento (na boca e no "bigode chinês", por exemplo), fios de elevação facial (lifing) para correção de flacidez, microagulhamento (que perfura superficialmente a pele e promove o rejuvenescimento), bichectomia (retirada de gordura da bochecha) e lipo de papada.

Para que não haja percalços no caminho, profissionais da área recomendam que apenas médicos certificados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia ou pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica possam realizar os procedimentos de harmonização facial. Atualmente, cirurgiões-dentistas especializados e formados também podem atuar na área.

“Além de um resultado estético insatisfatório, realizado de forma incorreta este procedimento pode fazer com que algum dos produtos vá parar nos vasos sanguíneos, podendo causar necrose, cegueira ou até mesmo um AVC”, finaliza o médico.
 


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia