JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 23 de setembro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Agosto Dourado: leite materno é o padrão ouro da alimentação humana

Pediatra Marília Monti explica que a amamentação é um dos momentos mais importantes para aumentar o laço afetivo entre mãe e filho

09/08/2020 - 00:00:00. - Por Larissa Prata


Foto/Arquivo pessoal Dra. Marília Monti

A cor dourada escolhida para batizar o mês diz respeito ao “padrão ouro” do leite materno, fundamental ao bom desenvolvimento da criança

Em agosto, a atenção é voltada à amamentação. Chamado de Agosto Dourado, o mês é uma reflexão sobre os incontáveis benefícios do leite materno para a mãe e o bebê. “Leite materno é o padrão ouro da alimentação humana”, explica a pediatra Marília Monti.

“O leite materno dado ao bebê logo após o parto ajuda o útero da mãe a voltar ao tamanho normal mais rapidamente, diminui o sangramento, prevenindo a anemia materna, além de colaborar para o retorno mais rápido ao peso normal. Estudos também concluem que o aleitamento, em conjunto com uma alimentação saudável e com a prevenção médica, reduz o risco de câncer de mama e de ovário”, orienta Marília Monti.

A pediatra ainda enaltece os benefícios para o bebê. “Melhora o sistema imunológico, protegendo contra doenças infecciosas, como diarreia e pneumonia, proporciona melhor desenvolvimento e crescimento, reduz o risco de doenças alérgicas, estimula e fortalece a arcada dentária e gera uma melhor digestão para o bebê, podendo reduzir as temidas cólicas. Além disso, já existem estudos que sugerem que a amamentação é um fator que influencia na inteligência desenvolvida ao longo da vida. Outra vantagem é que há diminuição do risco de morte de crianças amamentadas exclusivamente até os seis meses”, explica.

Ainda de acordo com Marília Monti, a recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria, juntamente com a Organização Mundial da Saúde, é que ele seja ofertado ao bebê exclusivamente e em livre demanda até os seis meses de idade, sendo complementado com alimentos a partir daí até os 2 anos ou mais.

Mas se engana quem pensa que o aleitamento é um processo que envolve exclusivamente mãe e bebê. “Marido, mãe, médicos, enfermeiros, hospitais, fonoaudiólogos, psicólogos, consultores de amamentação... O sucesso da amamentação não depende apenas da mãe e do bebê e, sim, de toda uma rede de apoio. É importante existir tolerância e que as mães possam contar com apoio, orientação e carinho”, finaliza.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia