JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 29 de maio de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Rotinas diárias no isolamento ajudam na saúde mental, sugere especialista

Durante a quarenta os problemas emocionais podem ser potencializados e levar a situações de ansiedade e depressão

24/03/2020 - 16:48:20. - Por Daniela Brito Última atualização: 24/03/2020 - 17:41:37.

Foto/Jairo Chagas

Diretor de Atenção Psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde, Sérgio Marçal chama a atenção para que as pessoas cuidem da saúde mental durante a quarentena

Em meio à quarentena, a saúde mental das pessoas pode ser prejudicada, pois a situação desencadeia uma série de problemas emocionais como ansiedade e depressão. O diretor de Atenção Psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde, Sérgio Henrique Marçal esclarece que toda equipe de psicólogos está sendo preparada para realizar atendimento a estas pessoas, caso seja necessário.

Para manter a saúde mental em dia, ele recomenda estabelecer a rotinas diárias em casa que é “a organização da mente”. Como opções, ele propõe às pessoas que elaborarem uma lista de tarefas diárias e aproveitem o momento para realizar cursos online e leituras. “É necessário que seja feita ocupação produtiva do tempo”, orienta o diretor, que também propõe evitar pensamentos negativos e o excesso de informações sobre a pandemia.

Para ansiedade, ele sugere que as pessoas façam exercícios de respiração. “O ato de inspirar e expirar, o que quebra o ritmo do pensamento e minimiza os efeitos da ansiedade”, diz.
Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) também estão preparados para atender os profissionais da saúde, que têm atuação de frente ao combate ao Covid-19. “Precisamos primeiro olhar para nossos servidores e, ao mesmo tempo, acolher a população”, diz Sérgio, destacando que pessoas que possuem doenças emocionais, tal como depressão e ansiedade, podem ter o quadro agravado diante do isolamento social.

Nesta terça-feira (24), os profissionais estiveram reunidos para traçar a forma que serão feitos os atendimentos. Segundo o diretor, os psicólogos possuem conhecimento técnico de acolhimento de pessoas, principalmente que passam por situações adversas envolvendo desastres e no caso, pandemia.

Por outro lado, Sérgio Marçal também acredita que a quarentena servirá para rever as relações interpessoais, principalmente as mais próximas, fortalecendo os vínculos. Também será desenvolvida uma rede de cuidado e solidariedade entre as pessoas.

Para o teleatendimento, ainda não foi criado um call center específico, mas para quem necessitar, os profissionais podem dar orientações por meio de ligações telefônicas, pelos números: 3322-3007 (CAPS AD); 3312-0414 (CAPS Inácio Ferreira); 331272-53 (Ambulatório de Saúde Mental); 3333-0906 (CAPS Maria Boneca). “E caso seja necessário, pode também ser feito o atendimento presencial”, finaliza o diretor. 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia