JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 20 de agosto de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Vacina é capaz de proteger mãe e bebê contra três doenças graves

A dTpa é uma das vacinas indispensáveis e prevista no Calendário de Vacinação das Gestantes

14/07/2019 - 00:00:00. - Por Michelle Rosa Última atualização: 14/07/2019 - 17:21:41.

Foto/Divulgação


Vacina dTpa, ou tríplice bacteriana imuniza contra difteria, tétano e coqueluche

 

Uma única vacina é capaz de proteger mãe e bebê contra três doenças graves. Esta é a dTpa, ou tríplice bacteriana acelular do tipo adulto, que imuniza contra difteria, tétano e coqueluche.

A dTpa é uma das vacinas indispensáveis e prevista no Calendário de Vacinação das Gestantes e deve ser aplicada nas futuras mães a partir da 20ª semana de gestação.

De acordo com a referência técnica em imunização Valéria Ferreira de Oliveira, o objetivo da vacina dTpa em gestantes é diminuir a incidência da coqueluche, principalmente em crianças de 0 a 2 meses de idade.


“A mãe que se protege durante a gestação também protege aquela criança que vai nascer, pois esta será imunizada contra coqueluche somente a partir dos dois meses de idade. Caso a mãe não tenha recebido a vacina a partir da vigésima semana, a vacinação é realizada no período do puerpério, até 45 dias após o parto, para proteger a criança”, explica.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o objetivo principal da vacina é a proteção contra a coqueluche. É que nos últimos anos houve aumento da doença, especialmente em crianças abaixo de seis meses de idade. Por esse motivo, desde 2016, o Ministério da Saúde começou a recomendar a vacinação de gestantes. A meta é voltar a reduzir os índices. A coqueluche pode deixar sequelas e levar à morte. Os casos de difteria também apresentaram redução, por conta da cobertura vacinal, obtendo o mesmo sucesso alcançado contra o tétano neonatal.

Além da Tríplice Bacteriana, Valéria destaca que as futuras mamães devem se vacinar contra Hepatite B e Influenza. “Para receber imunização, a grávida não precisa de prescrição médica. Basta procurar uma das salas de vacinação espalhadas em Uberaba. Caso contrário, existe risco de transmitir a doença ao filho na hora do parto”, alerta.

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia