JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 10 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Pimentel ainda tenta aprovar projeto que viabilizará recursos para o 13º

Governador Fernando Pimentel se reuniu esta semana em Brasília com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia

- Por Gisele Barcelos Última atualização: 08/12/2017 - 22:26:35.

Para tentar solucionar o problema de caixa e viabilizar o pagamento do 13º salário aos servidores estaduais, o governador Fernando Pimentel (PT) se reuniu esta semana em Brasília com o presidente da Câmara, deputado federal Rodrigo Maia (DEM).

O petista articula para agilizar a aprovação no Congresso Nacional do projeto que autoriza antecipação de empréstimos aos estados brasileiros. Na semana passada, também em Brasília, o governador se reuniu com o presidente do Senado, Eunício Oliveira, para solicitar urgência na votação do projeto. O governo mineiro espera arrecadar recursos da ordem de R$1,8 bilhão a R$2 bilhões se aprovado projeto de lei que permite aos estados venderem os direitos da dívida ativa como títulos no mercado e antecipem junto aos bancos recursos devidos a médio e longo prazo.

Segundo informações do governo mineiro, o projeto deve ser aprovado no Senado na próxima semana, seguindo imediatamente para a Câmara dos Deputados. “Com a aprovação do projeto no Congresso Nacional, poderemos antecipar o recebimento de créditos parcelados da dívida ativa e, desta forma, obter os recursos necessários para o pagamento do 13º salário dos servidores. O presidente Rodrigo Maia assumiu o compromisso de colocar o projeto em votação tão logo ele seja enviado pelo Senado”, afirmou Pimentel.

A expectativa é que o projeto seja votado na semana em que a Câmara realizará o esforço concentrado para “limpar a pauta” antes do fim do ano. Assim, a votação em primeiro e segundo turnos seria realizada em um único dia. Durante entrevista a emissora de rádio na capital mineira, Pimentel disse que esse é o “plano A, B e C” para conseguir pagar o funcionalismo público.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia