JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 01 de abril de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Legislador em BH, neto de relator espera postura técnica sobre denúncia contra Temer

Doorgal Andrada (PSD) esteve ontem em Uberaba e visitou o presidente da Câmara Municipal, Luiz Dutra (PMDB)

Última atualização: 30/09/2017 - 10:02:17.

Foto/Rodrigo Garcia CMU

Doorgal Andrada, vereador em Belo Horizonte, é neto de Bonifácio Andrada, que vai relatar a denúncia contra Temer na CCJ

Relatório de Bonifácio Andrada (PSDB-MG) sobre a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal deve ser o mais técnico possível. Esta é a expectativa do neto do relator, vereador em Belo Horizonte, Doorgal Andrada (PSD), que ontem esteve em Uberaba e visitou o presidente da Câmara Municipal, Luiz Dutra (PMDB).

Um dos vereadores mais jovens do Estado, aos 24 anos, Doorgal diz que seu avô é professor de Direito Constitucional e um dos grandes juristas do país e por isto tem postura técnica em tudo que faz. “Eu espero um relatório técnico de sua parte”, disse, sem se posicionar em relação à denúncia contra o presidente Temer.

O vereador falou com a imprensa no gabinete da presidência do Legislativo de Uberaba na tarde de ontem e admitiu que poderá vir a disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa em 2018. Ele ressaltou que nasceu em Barbacena e já morou em outras seis cidades do interior mineiro, entre elas Uberaba, onde permaneceu por sete anos, quando seu pai, o hoje desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Doorgal Gustavo Borges de Andrada, atuou na cidade como juiz. Dessa forma, o vereador revelou que muitas vezes é cobrado a ajudar essas cidades e que sente vontade de disputar uma vaga para deputado estatual.

Na opinião dele, o Brasil vive uma crise e a sociedade espera que novos políticos devem se apresentar com novas visões e novas práticas, “mas temos também de respeitar os políticos que atualmente desempenham um bom papel. Temos de mudar o que precisa ser mudado”, conclui.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia