JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 23 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Governador participa de manifestação contra leilão de usinas no Triângulo

Usina de Miranda, no município de Indianópolis, foi palco, ontem, de manifestação pública em defesa das usinas da Cemig

Última atualização: 19/08/2017 - 09:31:59.

Foto/Divulgação CEMIG

Governador Fernando Pimentel discursa durante manifestação contra o leilão de usinas em Indianópolis

A usina de Miranda, no município de Indianópolis, no Triângulo (MG), foi palco, ontem, de manifestação pública em defesa das usinas da Cemig, cujas concessões estão sob litígio na Justiça Federal. Participaram do evento o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel; o presidente da Cemig, Bernardo Alvarenga, deputados federais, estaduais, prefeitos e representantes de entidades de classe e movimentos sociais e sindicais, além de público de cerca de mil pessoas.

Desde 2012, quando as usinas de São Simão, Jaguara e Miranda foram incluídas entre as concessões de geração de energia elétrica que estariam sujeitas às regras da Medida Provisória 579, a Cemig tem se posicionado em defesa do Contrato de Concessão de Geração Nº 07/1997, assinado com o governo federal. Neste documento, a cláusula quatro garante a renovação automática das concessões das três usinas por mais 20 anos.

O presidente da Cemig, Bernardo Alvarenga, agradeceu o apoio de todos em defesa das usinas e ressaltou que tem recebido manifestações de inúmeros segmentos da sociedade mineira contra a realização do leilão previsto para setembro. “Essas usinas, construídas e operadas pela Cemig, representam quase 50% da capacidade de geração da companhia e são resultado do esforço do povo mineiro. Não podemos concordar que o nosso direito à renovação dessas concessões seja ignorado. Aceitar o leilão seria desconsiderar o contrato que tem sido cumprido em todos os seus requisitos pela Cemig. Cabe ao governo federal cumprir sua parte. Caso contrário, que segurança jurídica terão as concessões neste país?”, salientou Bernardo Alvarenga.

Bernardo Alvarenga afirmou que a Cemig ainda busca uma solução negociada para o litígio judicial que se estende desde 2013, que atenda aos direitos da companhia e às expectativas do governo federal e detalhou o contrato que resguarda o direito em renovar a concessão automática das usinas de São Simão, Jaguara e Miranda.

Nos pouco mais de cinco minutos em que discursou, Fernando Pimentel garantiu que negociará e fará o possível para que a Cemig não saia prejudicada com o eventual leilão das três usinas.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia