JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 24 de agosto de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

CMU cobrará do governo estadual regularização de repasses para Supam

Presidente Luiz Dutra recebeu em seu gabinete esta semana ex-alunos da Sociedade Uberabense de Proteção e Amparo aos Menores

Última atualização: 30/06/2018 - 07:54:17.

Rodrigo Garcia/CMU


Presidente Luiz Dutra recebeu em seu gabinete ex-alunos da Supam, que relataram os prejuízos para a cidade que podem ser causados com o fechamento

O presidente da Câmara, Luiz Dutra (MDB), recebeu em seu gabinete esta semana ex-alunos da Sociedade Uberabense de Proteção e Amparo aos Menores (Supam), que estão preocupados com a possibilidade de fechamento da escola, que vai completar 60 anos em 2019. Um ofício assinado por todos os vereadores, cobrando a regularização dos repasses, será encaminhado ao governador do Estado. Os jovens, que estavam com cartazes e panelas, como forma de protesto, se reuniram com Dutra com o objetivo de pedir ajuda do Poder Legislativo para a regularização da dívida do Estado para com a Supam.

Durante sessão da Câmara, neste mês, o vereador Almir Silva (PR) leu reportagem publicada no Jornal da Manhã, destacando que a instituição não recebe os repasses do Estado desde julho de 2017, sendo que o montante já chega aos R$467 mil, sem correção monetária. Nesta tarde, os estudantes contaram que mais de 200 meninas, de 6 a 14 anos, em regime de semi-internato, dependem da entidade educacional. “Nossos governantes precisam compreender que Educação não é despesa, mas investimento!”, disseram ao presidente do Legislativo.

Dutra se comprometeu a elaborar documento, que deverá ser assinado por todos os parlamentares, endereçado ao governador Fernando Pimentel, cobrando soluções para o problema. “Vamos unir forças para encontrarmos uma saída. A Supam é uma escola tradicional na cidade. É triste ver a instituição enfrentando problemas que poderiam ser evitados caso o Estado cumprisse seu dever”, afirmou. O presidente aproveitou a oportunidade para conversar com os estudantes, que têm entre 14 e 18 anos, sobre política, educação, mercado de trabalho e o papel da escola e dos pais na educação.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia