JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Caso tríplex: TRF4 analisa recursos de Lula e do MPF

Sessão foi aberta pontualmente às 8h30 pelo desembargador Leandro Pulsen; após breve recesso, sessão volta com a votação dos desembargadores

Última atualização: 24/01/2018 - 14:16:21.

Sessão foi aberta pontualmente às 8h30 pelo desembargador Leandro Pulsen e, após pedido da defesa de Lula por aumento de tempo e também pela sustentação oral ao fim do julgamento, o relator, desembargador João Pedro Gebran Neto leu o relatório.

Passada a palavra, procurador Mauricio Gerum abordou o fato de Leo Pinheiro ter ido pessoalmente apresentar o triplex a Lula, e diz que a defesa não conseguiu explicar isso, apresentando apenas versões contraditórias. “Lamentavelmente, Lula se corrompeu”, resumiu.

Gerum também questionou a atuação do ex-presidente da empreiteira da OAS, José Aldemario Pinheiro Filho, ao mostrar a Lula o apartamento triplex no Condomínio Solaris, no Guarujá, em São Paulo.

Já falou também o advogado René Ariel Dotti, assistente da acusação, e advogado de Paulo Okamotto, Fernando Augusto Henrique Fernandes. Também falou Cristiano Zanin Martins, advogado de Lula. Os advogados dos réus tiveram 15 minutos na tribuna. Em sua sustentação, além das críticas a Moro, Zanin disse que o processo é nulo, gerando uma sentença nula, e que não houve a prova da culpa, mas sim a prova da inocência. “Não, o tríplex não é do ex-presidente Lula. Todos nós sabemos que o tríplex pertence e sempre pertenceu à OAS”, criticou.

Após breve recesso, sessão será retomada já com o voto do desembargador João Pedro Gebran Neto, relator do caso; em seguida, será a vez de Victor Luiz dos Santos Laus, o vogal.

Vale lembrar que o TRF da 4ª região analisa recurso de Lula no TRF-4, que confronta decisão do juiz federal Sérgio Moro, que o condenou a nove anos e seis meses de prisão, e também recurso do Ministério Público Federal, que pede o aumento da pena arbitrada ao ex-presidente. Forças de segurança isolam o local e o país segue com registros de protestos em diversas cidades: além de Porto Alegre, manifestantes a favor e conta Lula levantam cartazes com palavras de ordem em Goiânia, São Paulo, Jundiaí, entre outras.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia