JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 30 de junho de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Continua depois da publicidade



Estudo de viabilidade de captação no rio Grande fica pronto em julho

Primeira etapa já concluiu sobre a qualidade da água do manancial com resultado positivo, mas empresa analisa todas as possibilidades de captação para ampliar o sistema de abastecimento da cidade

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

23/06/2022 - 00:00:00. - Por Gisele Barcelos

Presidente da Codau, José Waldir de Sousa Filho, durante entrevista ao programa Pingo do J, da Rádio JM, ontem (Foto/Jairo Chagas)

Empresa especializada deve apresentar já em julho posicionamento sobre a viabilidade de captação de água no rio Grande para fortalecer o abastecimento no município. A informação é do presidente da Codau, José Waldir de Sousa Filho, que falou sobre o assunto em entrevista à Rádio JM, ontem.

O dirigente da autarquia afirmou que a consultoria está na segunda etapa do estudo para identificar a melhor alternativa para ampliar o abastecimento da cidade. No momento, o foco é avaliar a qualidade da água das opções disponíveis.

Segundo José Waldir, a análise da água do rio Grande já foi concluída e o resultado foi positivo. “A água do rio Grande é classe dois, semelhante à que captamos no rio Uberaba. É boa para se tratar. Agora, a avaliação será feita da tratabilidade da água do rio Araguari”, adiantou.

Depois da análise da qualidade dos recursos hídricos, o presidente da Codau manifestou que a empresa começará a fazer a avaliação do custo para trazer a água até a estação de tratamento. “A previsão é que o resultado desse estudo de viabilidade econômica e financeira da captação no rio Grande seja entregue para nós em julho, apontando a eficiência e o valor estimado dessa alternativa de abastecimento”, ressaltou.

Já o trabalho final, completo, com o parecer sobre todas as opções de abastecimento deve ser disponibilizado até outubro para a autarquia. José Waldir ponderou que o estudo também incluirá a possibilidade do uso dos poços, mas antecipou que a profundidade é de 500 metros para atingir o aquífero e o gasto energético para o bombeamento seria muito maior ante às demais alternativas.

O trabalho está sendo desenvolvido pela Projetae, de São Carlos, que venceu o processo licitatório no fim do ano passado. A Codau pagará R$400 mil pela elaboração do estudo.

A empresa analisará a viabilidade técnica e econômica de todas as alternativas de abastecimento existentes no momento, desde a captação no rio Grande, rio Araguari e até mesmo a perfuração de novos poços profundos para aproveitar o aquífero Guarani.

A partir do resultado da análise e da diretriz sobre a fonte de abastecimento ideal para a cidade, a Codau pretende realizar audiências públicas para discutir a proposta com a Câmara Municipal e, também, com a sociedade civil.

Encerrada a consulta popular, a companhia dará início à elaboração dos projetos para a futura implantação da segunda fonte de abastecimento. O objetivo é deixar o projeto contratado da nova captação e, também, para a instalação de uma nova adutora e ETA (Estação de Tratamento de Água). 
 

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia
Fechar