JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 05 de agosto de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Mais de 90% das obras da transposição definitiva do rio Claro estão concluídas

15/07/2020 - 00:00:00.

Foto/Divulgação


Obra de implantação de barragem e bombeamento para a transposição definitiva do rio Claro está na fase final

Mais de 90% das obras referentes à implantação da barragem de nível e do sistema de bombeamento de água bruta para a transposição do rio Claro já estão concluídas. A execução do serviço começou no início deste ano e o trabalho deve ser finalizado ainda em julho.

A nova estrutura substitui o sistema atual de transposição. A barragem foi construída para reter a água do rio Claro e facilitar a retirada do manancial. A obra também inclui a troca dos motores movidos a diesel até então utilizados no bombeamento, que passará a funcionar com energia elétrica. Houve a instalação de duas bombas anfíbias em trilhos submersos, com a capacidade de operar tanto dentro quanto fora da água.

Continua depois da publicidade

De acordo com o presidente da Codau, Luiz Guaritá Neto, o cronograma de execução está avançado e os testes elétricos e mecânicos do sistema já começarão nos próximos dias. “As obras devem ser concluídas ainda este mês. Assim, colocamos o sistema definitivo da transposição do rio Claro pronto. Ele servirá para todos os períodos de estiagem e passará a ser uma segunda fonte de captação de água, quando a barragem Prainha estiver em operação. Mas ainda este ano ele continuará a ser a primeira alternativa para a seca que se aproxima”, explicou.

A barragem foi erguida no local da captação já existente no rio Claro. Guaritá afirma que não foi preciso qualquer intervenção no rio Claro para a construção da estrutura devido à técnica utilizada na obra. “Foi aplicada uma metodologia comum em obras submersas, por isto não necessita de desvio no curso d’água e pode ser moldada in loco”, explicou.

Ao todo, R$2,324 milhões foram aplicados para a modernizar a transposição do rio Claro. A obra foi custeada com verba do Orçamento Geral da União (OGU), assegurada através de repasse do Ministério das Cidades.
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia