JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 12 de agosto de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Anderson diz ter sido procurado, mas negou ajuda por intervenção no PDT

12/07/2020 - 00:00:00. - Por Gisele Barcelos

Ex-prefeito Anderson Adauto confirmou ter sido sondado para ajudar em intervenção estadual no PDT Uberaba. Em entrevista à Rádio JM, AA revelou que foi procurado para atuar junto ao presidente da sigla, Mário Heringer, em prol da indicação de Antônio Lerin para assumir o comando local do partido, mas negou o pedido.

O PDT está novamente sofrendo por uma disputa de comando. O mandato da comissão provisória encabeçada pelo advogado Jacob Estevam venceu na última semana e, até o momento, não houve publicação de nova direção. Enquanto Jacob busca se manter na presidência da sigla e levar adiante o projeto de lançar Roberto Velludo para a disputa majoritária este ano, há rumores de que Lerin tenta articular na liderança estadual para tomar o partido e viabilizar a própria candidatura a prefeito.

Anderson declara que foi procurado por acreditarem que ele teria contato com o presidente do PDT Minas, o deputado federal Mário Heringer. Ele argumenta que as pessoas acreditaram que ele teria um parente em comum com o líder da sigla, mas a informação é equivocada. “Alguém me ligou e fez um pedido se seria possível [eu intermediar], mas não tenho ligação de parentesco. Tenho um cunhado com o sobrenome Heringer, mas não é da mesma família do deputado”, disse, ressaltando que também se recursou a interferir no partido porque não pretende trabalhar contra o nome de Roberto Velludo e nem de outros pré-candidatos.

Apesar da indefinição sobre o comando do PDT no município, Velludo afirma que o projeto para a disputa majoritária está garantido. Ele defende estar devidamente filiado ao partido e acredita que não haverá troca na direção da sigla. “Tenho certeza que o Jacob permanece presidente do PDT em Uberaba”, posiciona.

Além disso, mesmo que ocorra uma mudança no comando, o engenheiro manifesta que a nova liderança deverá respeitar o resultado das convenções e o projeto será defendido junto à militância do PDT. “O Lerin pode até conseguir o comando do partido, mas ele não manda nos filiados. Eu venho me reunindo com pré-candidatos a vereador e várias pessoas filiadas. Estamos trabalhando a nossa campanha”, declara.

Continua depois da publicidade


Questionado, Velludo descarta a possibilidade de o partido lançar uma chapa pura para a eleição majoritária e uma eventual composição de Lerin como vice. “Não é intenção nossa. Isso não acrescenta à campanha. Queremos fazer coligações e trazer outras pessoas. Mas se a futura comissão provisória alinhar com o Lerin e achar que deve, podemos conversar. Mas hoje não é a estratégia”, encerra. 
 


Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia