JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 02 de junho de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Bolsonaro ameaça, mas desiste de demitir Mandetta nesta segunda-feira

Não significa, no entanto, que Mandetta esteja seguro à frente do Ministério da Saúde

06/04/2020 - 17:14:28. Última atualização: 06/04/2020 - 22:10:28.

Luiz Henrique Mandetta fica no cargo e permanece à frente do Ministério da Saúde; só não sabe até quando

Fica ou não fica?

Após fritura de mais um ministro, o presidente Jair Bolsonaro voltou atrás na decisão de demitir Luiz Henrique Mandetta, que permanece à frente do Ministério da Saúde – só não sabe até quando. Segundo a revista Veja, a decisão de Bolsonaro estava tomada, mas acabou convencido pela ala militar, como os ministros Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Governo).

A possibilidade de exoneração de Mandetta, no entanto, ainda continua forte. O principal nome do governo atualmente desagradou o “chefe” por ter ideias diferentes. A principal delas diz respeito à quarentena ampla, que o ministro e as principais autoridades de saúde do mundo defendem, entre elas a Organização Mundial da Saúde (OMS). Bolsonaro prefere flexibilizar o isolamento social por acreditar que a adoção da quarentena vai “quebrar” a economia do país e provocar caos social, o que pode ferir de morte o seu governo.

Para a cadeira de Mandetta estão cotados o deputado federal Osmar Terra, ex-ministro da Cidadania, a imunologista e oncologista Nise Yamaguchi, diretora do Instituto Avanços em Medicina, e o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, são apontados como favoritos a ocupar o cargo. Terra, inclusive, já teria ligado para alguns governadores para anunciar a decisão do presidente, segundo a revista Veja. Ao jornal Estado de Minas, no entanto, Terra negou que tenha sido convidado para assumir o Ministério da Saúde
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia