JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 31 de maio de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Governo estadual apela para empresários não deixarem de recolher impostos e não tem previsão para pagar servidores

Neste momento, os impostos devidos são relativos ao mês de março, quando ainda não havia a crise proporcionada pela pandemia

01/04/2020 - 19:05:44. - Por Gisele Barcelos Última atualização: 01/04/2020 - 19:10:18.

Foto/Divulgação

Secretário de estado de Planejamento concedeu entrevista coletivo na tarde desta quarta-feira

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (1º de abril), o secretário estadual de Planejamento e Gestão, Otto Levy, fez apelo a empresários e pediu que pagamento de impostos seja feito normalmente em abril.

O titular da pasta posicionou que os tributos que vencem agora são referentes ao período de março, quando ainda não havia crise no Brasil em função da pandemia de coronavírus no Brasil.

“Queria fazer um apelo aos empresários. Tendo em vista que o pagamento de impostos agora em abril se refere à competência de março, quando ainda não havia a crise do Covid -19, paguem os impostos referentes ao mês de março. É o pagamento de impostos de uma receita que já aconteceu, de uma venda que já aconteceu e de um dinheiro que já entrou no caixa das empresas”, declarou.

Levy ainda declarou que o pagamentos tributos é a maior contribuição que as empresas podem dar no momento para o combate ao coronavírus, pois a entrada de recursos é necessária para custear as ações de enfrentamento à doença em MInas Gerais.

“Se quiserem que os hospitais funcionem a contento e os servidores da Saúde estejam aptos e motivados a trabalhar é importante que o Estado tenha condições para manter o salário de todos os servidores em dia. Para isso, o pagamento de impostos é fundamental”, argumentou.

Até o momento, servidores públicos estaduais não tem previsão de data para receber os salários do mês. Havia expectativa do anúncio da escala de pagamento em abril durante a coletiva, mas o secretário de Planejamento e Gestão posicionou que ainda não há um cronograma.

“Diante do quadro atual, não temos uma definição. Estamos trabalhando para termos um calendário o mais rápido possível e assim que tivermos será divulgado”, disse.

De acordo com o titular da pasta, um decreto de contingenciamento de gastos no Executivo já foi publicado e cortes serão feitos para cumprir as obrigações com o funcionalismo.
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia