JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 12 de agosto de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Fechamento do comércio e suspensão de aulas estão mantidos em Uberaba

A determinação no momento continua pelas medidas de isolamento até o dia 30 de abril

25/03/2020 - 08:18:21. - Por Gisele Barcelos Última atualização: 25/03/2020 - 12:30:29.

Foto/Fábio Braga


No sábado, o primeiro dia de portas fechadas no comércio de Uberaba, a rua Arthur Machado, que já foi chamada de "Rua do Comércio" amanheceu assim: totalmente fechada

Após presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defender reabertura do comércio e retorno das aulas em discurso polêmico na noite de ontem, prefeito Paulo Piau (MDB) posicionou que regras para fechamento de lojas e suspensão de aulas em Uberaba estão mantidas. A determinação no momento continua pelas medidas de isolamento até o dia 30 de abril.

Piau afirma que não há porque recuar na ordem de fechamento do comércio e das escolas porque foi uma decisão tomada conforme as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde. "Não houve erro", declara.

O chefe do Executivo argumenta que a declaração de Bolsonaro foi equivocada e contrariou as diretrizes do próprio Ministério da Saúde. Além disso, ele posiciona que a fala traz mais dificuldades para sensibilizar a população quanto à necessidade do isolamento para conter a propagação da Covid-19. "Não foi bom. Isso cria um tumulto muito grande. Vamos ter mais equilíbrio agora para administrar essa situação", manifesta.

De acordo com o prefeito, o decreto que estabeleceu as medidas de isolamento em Uberaba teve correções ontem e foi aperfeiçoado para esclarecer a situação de algumas atividades não contempladas inicialmente. 

O texto agora prevê que será permitida a entrega de pedidos na porta de bares, lanchonetes, restaurantes, pizzarias, sorveterias e similares. No entanto, é proibida a entrada e consumo no local. As lojas de produtos para animais também poderão funcionar, com restrições quanto ao acesso ao interior do estabelecimento.

Pelo novo texto, o funcionamento de estabelecimentos comerciais dentro do Mercado Municipal também foi liberado, sendo obedecido o critério de uma pessoa para cada cinco metros quadrados e com dois metros de separação entre elas. 

Continua depois da publicidade

Além disso, as bancas/barracas de produtos hortifrutigranjeiros e carnes em feiras livres nos bairros da cidade está liberada, mas seguindo as normas de distanciamento.

O prefeito também detalhou como funcionará a operação de barreira sanitária na cidade. De acordo com ele, a base será montada no pedágio, no posto de atendimento da concessionária ou nas unidades da Polícia Rodoviária das principais rodovias de acesso à cidade.  

Nesses locais, os motoristas serão abordados para responder um questionário sobre o motivo do deslocamento a Uberaba e receberão orientações para não se tornarem vetores do vírus. O mesmo será feito no aeroporto para um trabalho junto aos usuários de voos particulares.
Bolsonaro é de alvo de panelaços durante pronunciamento em cadeia de rádio e TV

Bolsonaro volta defender nas redes sociais que 'o Brasil não pode parar'

Depois do pronunciamento oficial feito na noite desta terça-feira, 24, em que contrariou todas as recomendações das autoridades sanitárias para este período de quarentena em razão do avanço da pandemia de coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender, na manhã desta quarta-feira, em suas redes sociais, que o Brasil não pode parar.

Em um post divulgado em sua conta pessoal no Twitter, o mandatário disse que "38 milhões de autônomos já foram atingidos e se as empresas não produzirem não pagarão salários". E continuou: "Se a economia colapsar os servidores também não receberão. Devemos abrir o comércio e tudo fazer para preservar a saúde dos idosos e portadores de comorbidades."

No post, o presidente divulgou vídeo com uma foto em que aparece ao lado do presidente dos EUA, Donald Trump, com a seguinte frase: "O Brasil não pode acabar" para reiterar que o homólogo norte-americano está na mesma linha que ele, defendendo que os prejuízos da economia paralisada, com a quarentena, poderão ser mais danosos do que o próprio vírus.

Críticas

A posição de Bolsonaro, em contrariar as determinações das autoridades sanitárias para a quarentena, recebeu muitas críticas, inclusive dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) que consideraram o pronunciamento do mandatário de equivocado. "O País precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população. Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República, disse Alcolumbre. (Por Elizabeth Lopes/Agência Estado)
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia