JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 06 de abril de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Sindicato cobra suspensão do trabalho de servidores no Centro Administrativo

Sindicalistas reivindicam a suspensão do trabalho interno em todos os setores da Prefeitura que não são ligados à prestação de serviços essenciais

23/03/2020 - 21:44:23. - Por Gisele Barcelos Última atualização: 23/03/2020 - 21:44:33.

Sindicalistas reivindicam a suspensão do trabalho interno em todos os setores da Prefeitura que não são ligados à prestação de serviços essenciais. As repartições públicas municipais, inclusive o Centro Administrativo, já estão fechadas para atendimento ao público. Porém, a atividade administrativa interna continua. 

Em ofício protocolado esta semana, o SSPMU (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Uberaba) posiciona que várias medidas já foram adotadas para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19), mas é necessário também o fechamento imediato de todos os setores onde ainda há funcionários em serviço administrativo interno.

O presidente do SSPMU, Luís Carlos dos Santos, afirma que a preocupação é com a saúde dos servidores, que se deslocam todos os dias para o local de trabalho, e também com a população. “Pedimos que reveja essa decisão de manter o trabalho interno, já que o risco de contaminação é real, considerando que esses servidores têm que sair às ruas”, declara.

No documento, também foram apontadas sugestões para minimizar a presença do servidor nos prédios da Prefeitura. Entre as propostas apresentadas estão a liberação de férias regulamentares ou férias-prêmio a quem tem direito, rodízio entre a categoria, redução de carga horária e ainda manter um percentual mínimo para os serviços considerados essenciais para não comprometer o funcionamento da Administração Municipal. 

Além disso, os sindicalistas também requisitaram esclarecimentos quanto ao salário dos servidores que tiverem que se afastar do trabalho, por estarem entre o grupo de risco, tipificado pelo Ministério da Saúde. Luís Carlos aponta que, desde a publicação dos decretos municipais tratando da questão, o SSPMU já foi procurado por vários servidores, com medo de receberem faltas e, consequentemente, sofrerem perdas em seus salários.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia