JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 24 de fevereiro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Piau diz receber com naturalidade a pré-candidatura de Tony a prefeito

O ex-vereador declarou a pretensão de disputar a eleição majoritária durante programa em uma rádio da cidade

25/01/2020 - 00:00:00. - Por Gisele Barcelos

Prefeito Paulo Piau (MDB) afirma que recebeu com naturalidade o anúncio da pré-candidatura de Tony Carlos a prefeito. O ex-vereador declarou a pretensão de disputar a eleição majoritária durante programa em uma rádio da cidade. Piau manifesta que Tony é um nome qualificado, pois é um político experiente e com muitas contribuições para cidade. “Ele está no páreo para valer e, se houver consenso em torno do nome dele, vamos juntar todos para elegê-lo”, afirma. 

No entanto, o prefeito reforça que há outros postulantes ao cargo no mesmo partido. “Dentro do próprio MDB apareceram outros candidatos, como Rubério Santos, Luiz Dutra, Silvana Elias e Zé Renato Gomes. Isso é bom. Apenas dentro de um partido veja quantas figuras importantes e experientes, com trabalho prestado pela cidade”, revela.

Além disso, Piau ressalta que a aliança deverá contar com sete grandes partidos e todos também têm nomes a apresentar. Segundo ele, a meta é fechar um nome de consenso com o grupo e não há obrigatoriedade de o MDB ficar com a cabeça de chapa. “O candidato a prefeito sairá do grupo e não do MDB especificamente. Torço que seja do meu partido, mas vamos conversar com os sete que estão no páreo”, salienta.

Questionado sobre um possível racha na base devido ao número de postulantes à candidatura majoritária, Piau acredita que houve um amadurecimento. “Política é atividade de alto risco, mas acho que já aconteceu amadurecimento e ninguém sai numa aventura. Quem tem um grupo de retaguarda forte não tenta voar sozinho”, disse. 

O chefe do Executivo também acrescentou que emplacar uma terceira via em eleição municipal seria uma proposta inviável. “Não acredito em aventuras partidárias. Tem que estar com grupo coeso para ganhar a eleição. Se dividir, o risco é perder”, encerra.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia