JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 15 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Plano Diretor não leva em consideração desenvolvimento ambiental e sustentável

Na análise técnica do Observatório Urbano, está sendo revogada a perspectiva de criação de novos parques e novas áreas verdes

10/10/2019 - 09:15:17. - Por Marília Mayer Última atualização: 10/10/2019 - 09:16:21.

Rodrigo Garcia/CMU


Aconteceu na noite de ontem na Câmara Municipal a audiência pública para discussão do projeto que trata da revisão do Plano Diretor de Uberaba, quando vários posicionamentos foram apresentados por parte da Secretaria Municipal de Planejamento, do Ministério Público, da organização “Observatório Urbano”, Instituto Triângulo, vereadores e público presente, que levaram ao Legislativo diversos problemas que devem ser tratados na legislação por meio de emendas a serem acostadas à proposta

Audiência pública para discussão do Projeto de Lei Complementar (PLC) 31/18, que prevê a revisão do Plano Diretor do município de Uberaba, lotou o plenário da Câmara Municipal na noite de quarta-feira (9).

A reunião contou com participação de representantes do poder Executivo, Legislativo e Judiciário, além da presença da população.

O grupo de estudos Observatório Urbano participou do debate e aponta retrocessos no que tange ao desenvolvimento ambiental e sustentável da cidade. Segundo o coordenador do Observatório, Leonardo José Silveira, a proposta permite a diminuição de áreas verdes no perímetro urbano.

“Nós precisamos de um plano que abarque toda a cidade, então, é necessário que se estabeleça políticas que direcionem a cidade para o futuro. A mentalidade atrasada de que desenvolvimento é asfalto, é concreto, nós estamos deixando de lado. A população está se manifestando e fica iminente que nós precisamos de uma cidade com qualidade de vida, com meio-ambiente equilibrado, áreas verdes e parques”, alerta.

Na análise técnica do Observatório Urbano, está sendo revogada a perspectiva de criação de novos parques, novas áreas verdes e prevista a suspensão de proteção de áreas que poderiam ser parques futuramente.

Membro do Observatório Urbano, o engenheiro e professor universitário Antônio Carlos Evangelista aponta, ainda, que a revisão do Plano Direto peca também no planejamento. “Houve uma pequena questão que é em relação à participação social. Houve por parte do Poder Executivo uma consulta a entidades de classe e faltou participação nos bairros mais afastados, como Rio de Janeiro e Pacaembu. A gente vê hoje que a E.E Castello Branco tem vagas sobrando e a Prefeitura precisa gastar dinheiro com transporte escolar ou construir novas escolas porque não houve esse planejamento urbano”, analisa.

A expectativa é que os vereadores apresentem emendas ao PLC para que seja adequado levando em consideração os apontamentos feitos.

O grupo de estudos Observatório Urbano é formado por docentes, técnicos e discentes das universidades de Uberaba (Uniube) e Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e vai apresentar o resultado do estudo feito sobre o urbanismo e a proposta do novo Plano Diretor de Uberaba. Integraram o estudo a engenheira e arquiteta Maria Paula Meneghello (Uniube), o engenheiro civil e professor Antônio Carlos Evangelista (UFTM), a arquiteta Veruska Bichuetti (UFTM), o geólogo e mestre em Arquitetura e Urbanismo Leonardo José Silveira (UFTM), a arquiteta Ana Paula Enes Barros (Uniube) e a engenheira civil e arquiteta Elaine Furtado.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia