JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 20 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Prefeitura deve cobrar estrago em forro do Zoonoses de parlamentares

Secretaria Municipal de Obras fará levantamento do prejuízo causado por conta do rompimento do forro de gesso no canil do Departamento de Zoonoses

18/09/2019 - 00:00:00. - Por Marconi Lima Última atualização: 18/09/2019 - 15:06:37.

Fábio Braga


Local onde o vereador se acidentou e causou danos ao forro do sótão do Centro de Controle do Zoonoses da PMU

 

Secretaria Municipal de Obras fará levantamento do prejuízo causado por conta do rompimento do forro de gesso no canil do Departamento de Controle de Zoonoses e Endemias e encaminhará a conta ao vereador Thiago Mariscal (MDB), ao deputado estadual Cleitinho Azevedo (Cidadania) e ao deputado federal André Janones. 

Entenda o caso: Saúde apura denúncia de estocagem de medicamentos e seringas vencidos na Zoonoses

Os três parlamentares estiveram na segunda-feira (16) no Departamento de Zoonoses, onde encontraram caixas com insumos vencidos, além de baús de motos e capacetes, e até mesmo galões de formol, substância altamente inflamável. O material estava estocado no sótão em um dos cômodos do canil. Ao subir no local para uma verificação, Mariscal pisou em forro de gesso que se rompeu e ele caiu de uma altura superior a três metros.

O vereador foi atendido pelo Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado a hospital particular da cidade, onde ficou em observação. Foi constatada, segundo Mariscal, uma lesão na coluna e ele reclamou de dores nos braços.

“Ele (Mariscal) correu inclusive risco de vir a óbito, uma vez que o gesso formou pedaços pontiagudos e poderia perfurar uma veia femoral”, frisou o secretário municipal de Saúde, Iraci Neto, durante entrevista ontem à Rádio JM em que afirmou que a fatura dos estragos causados à estrutura física do Centro de Zoonoses será encaminhada aos parlamentares.

Vistoria. Entre os materiais encontrados constam datas de validade entre 2003 e 2013. Foi possível contabilizar 92.050 seringas; 105 mil agulhas; 1.850 escalpes; 1.050 comprimidos de Quifitrim; 9 frascos de Lindocaina; 60 frascos de Penicilina; 360 fios de sutura e 150 equipo macro. 

Sobre a questão de desperdícios de materiais, Iraci disse que a Prefeitura trabalha com levantamento de demandas para evitar perdas de remédios e medicamentos. “Se ocorrer vencimentos, será com um percentual muito pequeno de medicamentos e materiais”, ressaltou.

Leia também: Comissão de Decoro Parlamentar da CMU não vai intervir na postura de Mariscal na Zoonoses

Iraci Neto faz pente-fino e acha mais materiais em outros alçapões

CMU adota conduta amistosa e não vai propor CEI para apurar insumos escondidos na Zoonoses

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia