JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 08 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Prefeito confirma que usará Cidade Vigiada para fiscalização de trânsito

Dessa maneira, ele descarta o retorno da fiscalização eletrônica de trânsito tradicional, que era feita através da utilização de radares

11/09/2019 - 00:00:00. - Por Thassiana Macedo Última atualização: 11/09/2019 - 14:43:33.

O prefeito Paulo Piau (MDB) confirma que a tecnologia do programa Cidade Vigiada deverá ser usada para identificar avanço de sinal, conversão em locais inapropriados e excesso de velocidade em algumas vias da cidade. Dessa maneira, ele descarta o retorno da fiscalização eletrônica de trânsito tradicional, que era feita através da utilização de radares, também conhecidos como “pardais”. 

Cidade Vigiada é um sistema composto por câmeras com software que realiza leitura de placa veicular, analíticos forenses e um Centro de Monitoramento e Controle, desenvolvido pela Companhia de Desenvolvimento de Informática de Uberaba (Codiub).

Uberaba está há mais de dois anos sem fiscalização eletrônica de trânsito. Havia previsão de que o monitoramento seria reativado no primeiro semestre de 2019, mas o cronograma foi adiado para dar prioridade à implantação do programa Cidade Vigiada, que deve ter as primeiras câmeras instaladas a partir do próximo mês, processo que será encerrado antes do Natal, segundo o diretor da Codiub, Denis Silva de Oliveira. 

Para realizar esse monitoramento do trânsito, dentro das atribuições do programa Cidade Vigiada, o prefeito destaca que há um plano de extensão dos cabos de fibra ótica pela cidade para contemplar o contexto de segurança no trânsito. “Temos perdido uma vida atrás da outra e esse é o ponto mais importante. Estamos com o trauma da tal ‘indústria da multa’, que vem de governos anteriores, mas não se trata disso. Não queremos multar ninguém, mas se temos regras e temos uma lei de trânsito, elas têm que ser cumpridas por todos. Se alguém infringir, multa nele”, reforça.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia