JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 21 de novembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Governador pretende criar cargos para Advocacia-Geral de Minas com impacto de R$ 2,5 milhões

Apesar de servidores do estado estarem sofrendo com atrasos nos pagamentos, o texto já passou pelo plenário da Assembleia

13/08/2019 - 00:00:00. - Por Agência Estado

Apesar do Estado de Minas Gerais passar por uma grave crise financeira, o Governador Romeu Zema (Novo) também discute a criação de novos cargos para servidores estaduais. Zema enviou à Assembleia Legislativa um projeto de lei complementar que, ao propor a extinção e a criação de novos cargos e funções na Advocacia-Geral do Estado (AGE), implicará impacto financeiro anual nas contas públicas superior a R$ 2,5 milhões. O total da despesa com funcionários é de R$ 44 bilhões, mais de 60% da receita.

O projeto cria dez cargos de assistente do advogado-geral do Estado, com salário de aproximadamente R$ 7 mil, e um cargo de procurador-chefe, com vencimento de R$ 12 mil. O texto já passou pelo plenário da Assembleia, em primeiro turno.

Como parte visível da crise, os servidores do estado têm sofrido com atrasos no pagamento dos salários. Zema pretende fazer com que Minas entre no Regime de Recuperação Fiscal do governo federal – o que também precisa de aprovação dos deputados estaduais.

O restante dos R$ 2,5 milhões em gastos com pessoal a serem acrescidos nas contas do governo de Minas sairão da criação de 48 novas funções de coordenação de unidade jurídica e outras 75 funções de coordenação de área, para a atuação em secretarias, autarquias e fundações do governo. 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia