JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 22 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

A uma semana do fim do prazo, três mil empresas não entregaram o VAF

Aproximadamente 9 mil empresas já encaminharam os formulários para a Receita Estadual até o momento

25/05/2019 - 00:00:00. - Por Gisele Barcelos

Termina na próxima semana o prazo para envio da declaração anual do VAF (Valor Adicionado Fiscal). Aproximadamente 9 mil empresas já encaminharam os formulários para a Receita Estadual até o momento, mas 3 mil declarações ainda devem ser enviadas. 

A data-limite para o encaminhamento da declaração é no dia 31 de maio. A Secretaria da Fazenda orienta os contribuintes que não deixem para a última hora e evitem imprevistos como o congestionamento no sistema de transmissão.

O secretário municipal de Finanças, Wellington Fontes, reforça que o envio dos dados é de extrema importância para o município porque o resultado do VAF é um dos itens para a composição dos repasses do ICMS no próximo ano. “A soma do VAF de todas as empresas de Uberaba é o VAF do Município, e somado a todos os municípios mineiros resulta no VAF do Estado de Minas Gerais. Quanto maior o indicador de Uberaba, maior o percentual de repasse que o Município deve receber do Estado”, salienta.

Segundo o titular da pasta, a expectativa é o apoio das empresas para assegurar uma boa pontuação para Uberaba e maior participação nos repasses do ICMS. “O Município está se dedicando, visando o incremento das receitas pertencentes à nossa cidade, e esperamos continuar contando com a colaboração dos contadores e/ou responsáveis pela escrita fiscal de cada contribuinte”, pondera.

O Valor Adicionado Fiscal é um indicador econômico contábil utilizado pela Receita Estadual de Minas Gerais para calcular o índice de participação dos Municípios no repasse da receita do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, o ICMS, e do Imposto Sobre Produtos Industrializados, que é o IPI. 

Na última avaliação do VAF, Uberaba registrou em R$9,3 bilhões em movimentação financeira e nota de 2,38. Com isso, a cidade se manteve como a quinta maior economia de Minas Gerais, atrás apenas de Belo Horizonte, Betim, Contagem e Uberlândia.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia