JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 17 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Samuel Pereira defende estudos para transformar o HR em Hospital Municipal

O parlamentar lembrou que a prefeitura de Uberaba está bancando as despesas sozinha

21/05/2019 - 08:19:49.

Preocupado com a situação do Hospital Regional, o vereador Samuel Pereira (PR) quer propor a transformação da unidade em Hospital Municipal. O parlamentar lembrou que a prefeitura de Uberaba está bancando as despesas sozinha e pediu o apoio dos demais vereadores para que encaminhem um requerimento ao prefeito Paulo Piau, solicitando a alteração.

“É preciso discutir o assunto com muita seriedade, pois os municípios da região não estão cumprindo o acordo”, afirmou Samuel. O vereador disse que já esteve com o secretário municipal de Saúde, Iraci José de Souza Neto, que se mostrou favorável à ideia.

Segundo o parlamentar, na prestação de contas da Saúde do último quadrimestre, ele fez esta ponderação, e sabe que o prefeito também está disposto a avaliar a mudança. Samuel lembrou que a cidade de Uberlândia também tem um hospital municipal e avaliou que se o acordo não está sendo cumprido, é preciso tomar providências.

“E quem paga a conta somos nós”, disse o vereador. De acordo com ele, existe um consórcio e precisamos tomar uma providência, uma vez que o governo do Estado não está repassando nada também para o Hospital Regional.

O presidente do Legislativo, Ismar “Marão” (PSD), disse que na próxima semana o secretário vai comparecer a Câmara para prestar contas da pasta e que o assunto poderá ser discutido. “Se o Estado não cumprir o que foi pactuado, assim como os municípios que fazem parte do consórcio, o hospital vai acabar fechando”, afirmou “Marão”.

O líder do governo, Rubério dos Santos (MDB) comentou que, além de Uberaba, as cidades de Sacramento, Conquista e Planura têm cumprido o acordo, enquanto Pirajuba já pagou e disse que pretende voltar a pagar. “Eu entendo que em um momento que todos trabalham pela união dos municípios da região, é preciso dar uma chacoalhada, para que se resolva a situação”, acrescentou.

Para o vereador Agnaldo Silva (PSD), é preciso ter cautela, pois a cidade recebe recursos federais, e é preciso saber se Uberaba tem condições de manter um hospital municipal. Ele lembrou, ainda, os problemas que as Upas da cidade enfrentam, pois tem pessoas de fora que vem para a cidade, ficam na casa de parentes e acabam conseguindo atendimento.

O vereador Ronaldo Amâncio (PTB) disse que acha a ideia de Samuel louvável, mas pediu prudência. “Saúde lida com vidas, e fazer algo sem o devido cuidado, pode prejudicar outras cidades da região”, alertou, destacando que a região conta com cerca de dois milhões de habitantes.

Segundo o vereador Almir Silva (PR), o grande problema é a situação caótica em que o último governo deixou o Estado. “Mas é claro que precisam cumprir o compromisso. Além disso, o Estado ainda não colocou nem R$ 1 real no hospital, sendo que 25% da manutenção cabe a ele”, afirmou Almir.

O vereador defende que o primeiro passo seja de procurar o governador Romeu Zema para cobrar dele que honre o compromisso feito pelo Estado. “Alguns municípios estão cumprindo o acordo, mas a maioria não. Cada um precisa cumprir com a sua responsabilidade”, acrescentou.

Almir disse que o Estado precisa honrar sua parte ajudar inclusive com os leitos, pois na hora da dificuldade a população liga é para os vereadores. “É preciso assumir o Estado que ele pegou, com dívida ou sem dívida, é preciso sair da internet e governar”, finalizou o vereador.

De acordo com Samuel Pereira, a prefeitura, através da Secretaria de Saúde, juntamente com o SUS, é que estão bancando o HR, pois o que está sendo enviado por poucas cidades, é mixaria. “Eu defendo o Hospital Regional, mas é preciso rever esta situação”, argumentou.

O vereador Kaká Carneiro (PR) concordou que o assunto precisa ser debatido, mas disse ter preocupação com as pequenas cidades da região, como Delta e Veríssimo, que precisam de atendimento de alta e média complexidade.

“O problema é de que se estes pacientes forem encaminhados para o Hospital de Clínicas pode acarretar problemas de superlotação para o HC. É preciso avaliar e encontrar outras soluções”, afirmou Kaká.

Segundo o presidente Ismar Marão, a população confunde a responsabilidade com relação aos leitos, achando que cabe ao município, e não é. Ele também alertou que, em caso de mudança, as pessoas que estão no Hospital Regional terão que ser transferidas para o HC, que não comporta a quantidade de pacientes.

A vereadora Denise da Supra (PR) disse que sempre soube que o HR se tornaria um elefante branco, e lembrou que até hoje o local não está funcionando em sua totalidade. Ela comentou que os vereadores levam só paulada, e que já foi até xingada pelo telefone, com acusações de que é responsabilidade do vereador resolver as questões das vagas nos hospitais.

“Não acho correto o hospital funcionar apenas parcialmente, aquilo é um elefante branco para qualquer gestor”, analisou.

Para Denise, enquanto existir politicagem, com a utilização de artifícios que não resolvem, a população vai continuar sem entender e cobrando do Município. “E a coisa vai ficar pior, porque o Estado não tem dinheiro”, concluiu a vereadora.

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia