JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 15 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

MPF retira recomendação para evitar venda de equipamentos de fábrica de fertilizantes

Equipamentos que seriam utilizados na montagem da planta de amônia deverão ir a leilão ainda este mês

- Por Thassiana Macedo Última atualização: 01/02/2018 - 07:05:43.

Divulgação


Equipamentos que seriam utilizados na montagem da planta de amônia em Uberaba deverão ir a leilão ainda este mês 

Ministério Público Federal (MPF) encaminhou oficio à Petrobras S/A informando que retira a recomendação, enviada em 19 de dezembro de 2017. O objetivo era evitar a realização do leilão internacional para a venda dos equipamentos da fábrica de fertilizantes que a estatal começou a construir em Uberaba. A obra foi paralisada em meados de 2015 e não foram retomadas desde então. A Unidade de Fertilizantes Nitrogenados teria capacidade para produzir 519 mil toneladas de amônia por ano.

A partir da análise feita das informações levantadas até o momento, o procurador da República, Thales Messias Pires Cardoso, concluiu que não há qualquer perspectiva de fornecimento de gás para a Unidade de Fertilizantes Nitrogenados 5 (UFN5), sendo que a alienação de equipamentos por meio do leilão visa a minimizar o importante dano aos cofres públicos causado pelo cancelamento do projeto, bem como interromper os custos com a manutenção dos ativos.

Segundo o MPF, os relatórios indicam que foram gastos quase R$650 milhões, o equivalente a 33,12% do total destinado para o projeto. A fábrica de fertilizantes, custeada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), tinha o objetivo de atender à crescente demanda do setor agropecuário. Para isso, seriam construídas outras unidades no país. A obra seria feita pelo consórcio Toyo Setal Fertilizantes. Porém, em julho de 2015, com apenas um terço das obras realizadas, o projeto foi interrompido e, desde então, terreno e equipamentos estão abandonados em Uberaba.

O MPF instaurou procedimento investigatório com o objetivo de apurar eventuais danos ao patrimônio público e expediu recomendação para evitar o leilão dos equipamentos que seriam utilizados para a implantação do empreendimento, para avaliar se a medida causaria prejuízos ao erário.

Foi apurado que a retomada do projeto para a construção da unidade em Uberaba é inviável, visto que o Estado de Minas Gerais não construiu o gasoduto que abasteceria a unidade, e não há perspectiva de quando isso possa ocorrer. Foi constatado que o pacote de alienação, que compreende tanques de armazenamento, tubos e vasos e estruturas metálicas, objeto do leilão, que prevê lance inicial de mais de R$19 milhões, pretende evitar prejuízos ainda maiores caso os equipamentos se tornem sucatas.

O procurador ressalta que o leilão não inviabiliza que as benfeitorias implementadas no terreno sejam aproveitadas em outro empreendimento, mas esclarece que as investigações irão prosseguir para se apurar o dano ao erário e as consequentes responsabilidades.

 Leia mais: Grupo de trabalho desiste de barrar leilão da planta de amônia

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia