JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Petrobras coloca equipamentos da planta de amônia em leilão

Petrobras anuncia leilão internacional de equipamentos da fábrica de amônia em Uberaba. O comunicado foi publicado no Diário Oficial da União de sexta-feira (20)

- Por Gisele Barcelos Última atualização: 22/10/2017 - 09:53:58.

Petrobras anuncia leilão internacional de equipamentos da fábrica de amônia em Uberaba. O comunicado foi publicado no Diário Oficial da União de sexta-feira (20). A medida sepulta a possibilidade da venda de ações do empreendimento para investidor privado.

Conforme o aviso, o leilão eletrônico está previsto para ser realizado nos dias 21, 22 e 23 de novembro deste ano. Serão vendidos diversos equipamentos comprados pela Toyo Setal para a instalação da unidade, inclusive: esferas de amônia, tanque de armazenagem de amônia, transformador de entrada de energia, bomba centrífuga, bomba submersível, tanque de armazenamento de ácido sulfúrico, tubulação industrializada montada em peças, estruturas prediais montadas em peças e estruturas montadas em peças de propriedade da Petrobras.

O edital completo ainda não está disponível no site da Petrobras. O comunicado inicial não especifica o valor total estimado com a venda das peças. Entretanto, quando as obras da planta de amônia foram interrompidas em 2015, a informação era que aproximadamente R$1 bilhão já havia sido aplicado para a execução da obra e a compra de equipamentos.

A Unidade de Fertilizantes Nitrogenados V começou a ser instalada em 2014 pelo consórcio Toyo Setal e teria capacidade para produzir 519 mil toneladas por ano de amônia, mas as obras foram interrompidas em 2015 em meio aos escândalos de corrupção na Petrobras e dentro do processo de reestruturação de investimentos da estatal.

A Petrobras decidiu retirar o projeto do plano de negócios e justificou que a decisão foi tomada por conta do alto custo de implantação e a queda na demanda por fertilizantes no país, disse a empresa na época.

Desde então as lideranças políticas vinham trabalhando para colocar o empreendimento no pacote de projetos que teria ações vendidas pela Petrobras. A ideia era conseguir um investidor privado para retomas a obra da planta de amônia, porém a unidade não foi inserida na lista. Somente os ativos da fábrica de Três Lagoas foram disponibilizados ao mercado.

Em paralelo, a Codemig já estava em negociação com a Petrobras para o Estado retomar a área onde seria construída da UFN-V e realizar as compensações financeiras à petrolífera pelas benfeitorias realizadas na propriedade.

No mês passado, o presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, declarou que a companhia iria assumir o trabalho de captação de investidores para implantar uma unidade de produção de fertilizantes em Uberaba. Ainda não há informação se o Estado participará do leilão de equipamentos da unidade para dar pontapé à proposta.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia