JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 18 de janeiro de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Continua depois da publicidade



Comerciante executado com onze tiros respondia a nove inquéritos

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

17/11/2021 - 00:00:00. - Por Carlos Paiva

 

Comerciante, ex-presidiário e com várias passagens criminais, Emerson Donizetti Evangelista, vulgo “Nego Bactéria”, 42 anos, foi executado com ao menos 11 tiros, a maioria nas costas, disparados por homem que portava duas pistolas. A execução aconteceu em distribuidora de bebidas, na rua Iguatama, bairro Abadia, no fim da noite de domingo (14). Uma testemunha, de 26 anos, também foi alvejada com um tiro.
Perito criminal da Polícia Civil esteve no local, colheu evidências e recolheu 17 cápsulas calibre 9 milímetros e 12 projéteis de calibre não informado. O corpo foi encaminhado ao IML de Uberaba para exame de necropsia.
Suspeita-se que a execução tenha como motivação acerto de contas ou vingança relacionada ao tráfico de drogas.
O comerciante respondia a nove inquéritos policiais junto à Polícia Civil em Uberaba. Também era autor em dois Termos Circunstanciais de Ocorrências no Juizado Especial Criminal. Deixou a Penitenciária Professor Aluízio Inácio de Oliveira em Uberaba em 15 de outubro último.
O “Nego Bactéria”, como era conhecido, tinha registros policiais por lesão corporal no volante de veículo, vários tráficos de drogas, posse ilegal de arma de fogo, inclusive com numeração suprimida, receptação e, também, por dirigir embriagado.
Entre as várias ocorrências policiais envolvendo o comerciante Emerson Donizetti Evangelista, destacam-se duas: em 30 de abril deste ano, o comerciante teria tentado contra a vida de um autônomo, de 25, na rua Castro Alves, bairro Abadia. Ele estaria cobrando uma dívida relacionada a drogas, no valor de R$900,00.
Já em 28 de julho, também deste ano, o comerciante foi preso por posse ilegal de arma de fogo. Foi apreendido o revólver usado na tentativa de homicídio do autônomo. A arma de fogo estava escondida dentro de ar-condicionado na distribuidora de bebidas em que o comerciante foi executado.
De acordo com o que foi apurado pela reportagem do Jornal da Manhã, dois homens em uma motocicleta Honda Titan 160cc, cor branca, com acessórios na cor preta, placa coberta, para-lama dianteiro na cor vermelha, chegaram, pela rua São Matheus, à distribuidora de bebidas “Point Bebidas”.

Ainda conforme apurado, o passageiro desembarcou e, de posse de duas pistolas, começou a efetuar disparos, momento em que a testemunha, que estava ali comprando um suco, foi alvejada com um tiro no antebraço direito. Na sequência, o autor alvejou o comerciante, que estava atrás do balcão.
Percebendo que a vítima havia caído ao chão, o autor subiu no balcão e, utilizando as duas armas de fogo, efetuou vários disparos contra Emerson Donizetti Evangelista, vulgo “Nego Bactéria”. Em seguida, o autor retornou e embarcou na garupa da motocicleta. Os dois ocupantes da moto fugiram pela rua Montes Claros.
Conforme testemunha, o passageiro da motocicleta é forte, trajava calça preta, blusa de moletom de cor branca e mangas na cor verde. O piloto trajava calça jeans na cor azul e moletom verde. Os dois estavam de capacetes com viseiras escuras.
Policiais militares que registraram o crime chegaram ao local e encontraram grande aglomeração de pessoas. Dentro da distribuidora de bebidas, eles se depararam com o comerciante caído ao solo, em decúbito ventral, apresentando intenso sangramento e sem sinais vitais. Uma equipe de paramédicos do Samu esteve no local e atestou o óbito do comerciante.
A testemunha alvejada com um projétil de arma de fogo no antebraço esquerdo foi levada para o pronto-socorro do Hospital de Clínicas da UFTM, onde ficou em observação.
A distribuidora de bebidas, adquirida por Emerson Donizetti Evangelista no ano passado, foi deixada na responsabilidade de terceiro. O comerciante também já teria sido dirigente de um time do futebol amador em Uberaba.
Nenhum dos familiares da vítima fatal soube dizer o que poderia ter motivado tal crime, nem mesmo tem suspeita de quem possa ter mandado matá-la ou praticado a execução.
 


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia