JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 10 de abril de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Feriado conturbado: Patrulha Mista registra 177 ocorrências no final de semana e seis prisões

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

05/04/2021 - 16:22:34. - Por Luiz Henrique Cruvinel Última atualização: 05/04/2021 - 16:32:56.

O feriado da Sexta-feira Santa (2), estendido com a Páscoa (4), foi a principal preocupação da Patrulha Mista de Uberaba no começo deste mês de Abril. Mesmo com o reforço planejado pela Guarda Municipal, foram registrados, de 18h de quinta (1º) às 06h de segunda (5), 177 atendimentos, com 71 autuações lavradas.

Leia: GM planeja reforço de fiscalização para final de semana prolongado

De acordo com o Comandante da GM, Marcelo Neves, em entrevista à Rádio JM, o caso líder de denúncias continua sendo a reunião familiar em residências no perímetro urbano.

“Destes 177 atendimentos, foram 71 autuações: 23 foram em eventos e outras 28 por falta de máscara. Continua um número muito grande de eventos, em sua maioria pequenos, familiares, reuniões, proibidos pelo decreto da onda roxa. Tivemos ocorrências em chácaras, mas a maioria dos eventos são em área urbana, em residências, onde familiares se reúnem para comemorar um aniversário, ou algum momento”, aponta Marcelo.

Além das autuações, a Patrulha Mista, formada pelo Departamento de Posturas, Polícia Militar e Guarda Municipal, realizou seis prisões no período do final de semana. Cinco das prisões foram realizadas em chácara no bairro Residencial 2000, onde a equipe da PM foi recebida com agressão física e verbal e precisou utilizar força moderada para conter a confusão.

“Aquele [na chácara] foi o maior evento, com cerca de 50 pessoas. A guarnição que chegou da PM foi recebida com agressão, e cinco pessoas foram conduzidas à presença do Delegado por conta da ação. Tivemos outro na sexta-feira (2), um caso onde a guarnição da Guarda foi recebida, no Parque São Geraldo, pelo responsável. O homem começou a questionar o trabalho da Guarda e tentou agredir os oficiais”, revela o Comandante.

Porém, Marcelo Neves reforça que as prisões não são efetuadas pelo descumprimento do decreto, mas sim pelo desacato e desrespeito ao servidor público em exercício da profissão.

E depois?

Após a prisão, de acordo com Neves, o Delegado da Polícia Civil avalia o relato e confere possíveis passagens criminais. Na maioria das vezes, em casos de agressão física e verbal, o conduzido é liberado e assina o documento que exige a participação em júri para avaliar o crime cometido.


 

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia