JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 31 de outubro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Vice-prefeito de Perdizes é preso em operação "Voto de Cabresto"

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WatsApp: 34 99777-7900

16/10/2020 - 09:51:04. Última atualização: 16/10/2020 - 09:57:18.


Foto/divulgação

O vice-prefeito da cidade de Perdizes e outros dois funcionários da prefeitura foram presos na manhã desta sexta-feira (16) durante a operação 'Voto de Cabresto', realizada pela Polícia Civil do município, em conjunto com Ministério Público Eleitoral do Estado. Eles são suspeitos de envolvimento em um esquema que praticava diversos crimes eleitorais.

Segundo informado à Polícia Civil, durante as investigações foi possível apurar que o referido grupo usava a máquina pública municipal para deturpar o processo eleitoral ao coagir e induzir outros servidores, em especial funcionários comissionados, a votarem na candidatura do atual vice-prefeito de Perdizes ao cargo de prefeito.

Durante as diligências investigativas foi também revelado que o vice-prefeito de Perdizes e seus apoiadores forneciam materiais de construção - como tijolos, cimento, areia, telhas e portas - para eleitores em troca de voto.

Durante a operação foram cumpridos três mandados de prisão temporária, expedidos em face do vice-prefeito e de dois funcionários da prefeitura, por utilizarem de poder econômico e de influência política para ocultar provas e dificultar as investigações.

Também foram cumpridos quinze mandados de busca e apreensão, incluindo buscas na casa de dois vereadores de Perdizes, sendo recolhidos documentos, dinheiro, aparelhos celulares e computadores utilizados no desenvolvimento das atividades ilícitas, as quais comprovadamente deturparam o sistema eleitoral e o livre exercício do voto.

Buscas também foram feitas na Prefeitura Municipal e na Câmara Municipal de Perdizes, e ainda em dois estabelecimentos comerciais.

Participaram da operação “Voto de Cabresto” mais de vinte policiais civis pertencentes ao Departamento de Polícia Civil de Uberaba e dezoito policiais civis da CORE/PCMG (Coordenadoria de Recursos Especiais).

O nome da operação faz referência ao mecanismo de acesso aos cargos eletivos por meio da compra de voto com a utilização da máquina pública e ainda ao uso de coação e ameaças para que eleitores apoiem determinado candidato.


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

Continua depois da publicidade

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia