JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 22 de fevereiro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Incêndio em Paraty mata 3 crianças; padrasto é principal suspeito

Uma menina de 7 anos, outra de 4 anos e um menino de 5 anos, morreram no incêndio; mãe está internada

26/01/2020 - 00:00:00.

Foto/reprodução

Um incêndio em um casarão de Paraty (RJ) causou a morte de três crianças, nessa sexta-feira (24). A Polícia Civil prendeu o companheiro da mãe das vítimas pelo crime. Segundo o delegado Marcelo Russo, titular da 167ª DP (Paraty), o incêndio foi motivado por ciúmes.

Uma menina de 7 anos, outra de 4 anos e um menino de 5 anos, morreram no incêndio. A mãe das crianças, de 25 anos, inalou muita fumaça e segue internada no Hospital de Praia Brava. O laudo técnico pericial realizado na casa descartou incêndio por acidente, segundo o delegado, e apontou "ação humana" como a causa.

A polícia ouviu o depoimento de sete testemunhas, incluindo a avó e a babá das crianças. A conclusão foi que o acusado havia criado a história de que um dos filhos seria o autor do fogo nos colchões do quarto, por ele ser muito levado. Porém, segundo familiares, ele planejava se livrar das crianças, que já demonstravam grande temor do padrasto, para viver só com a mulher.

O autor do crime é de São Paulo e está há sete meses em Paraty. O relacionamento com a mãe das crianças tinha apenas três meses. O homem vai responder por três homicídios qualificados por emprego de fogo e ainda ampliados pelo fato das vítimas terem menos de 14 anos; tentativa de feminicídio contra a mãe das crianças, hospitalizada, com dolo eventual; e pelo crime de incêndio em local habitado — penas que somam mais de 100 anos.

O incêndio
O incêndio começou às 6h30, e o Corpo de Bombeiros foi acionado às 7h15. O casarão, de dois andares, fica na Rua Canal, no Parque Mangueira, bairro Ilha das Cobras. As chamas foram debeladas às 8h30. Em nota publicada em seu perfil no Facebook, a prefeitura lamentou o ocorrido e disse que pediu à polícia "prioridade absoluta" para que esse incêndio fosse esclarecido.

Nesta sexta-feira, dia do incêndio, o homem saiu de casa e seguiu até um bar próximo, onde comprou isqueiro e um maço de cigarro. Na volta para casa, por volta das 6h30, ele deixa a mulher no banheiro e incendeia um colchão de casal na porta de casa, como forma de bloquear a saída. Depois, ele saiu para o para o trabalho, numa padaria do bairro.

Vizinho do imóvel disse que outros moradores da região tentaram salvar as crianças, mas não deu tempo. “De repente, escutamos uma gritaria. Aí a minha mulher e meu filho acordaram. Ela falou que estava pegando fogo na casa e que tinham crianças lá dentro. Meu filho correu com os amigos para socorrê-las. A mulher estava pedindo socorro. Foi aquele alvoroço. O pessoal desesperado, saindo correndo com balde de água, com escada, querendo derrubar a parede. Infelizmente, não deu tempo e aconteceu essa tragédia”, detalhou ao "RJTV", da TV Globo.

*Com informações Extra
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia