JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 15 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Mãe arranca um dos olhos após ser detida por matar o próprio filho

O caso aconteceu em Rio Verde, Goiás; a mulher jogou o olho esquerdo no ralo do banheiro da cela

19/11/2019 - 09:11:21. Última atualização: 19/11/2019 - 12:50:43.

Uma mulher foi levada para atendimento em Goiânia (GO) após arrancar o olho esquerdo com as mãos após ser detida por matar o próprio filho. O caso aconteceu em Rio Verde (GO) no sábado. A mesma mulher estava sendo investigada pela morte de um recém-nascido que, à época do crime, ela confessou ter “deitado em cima do bebê”.

A própria acusada foi quem chamou a polícia na madrugada da última quinta-feira, por volta de 4h30, declarando que matou o próprio filho, de seis anos. Em depoimento, ela confessou que teve um “ataque de fúria” porque a criança se recusava a limpar a casa. Quando os policiais chegaram à casa onde mãe e filho moravam, a mulher estava no quintal ateando fogo nas roupas do menino.

A causa da morte está sendo apurada em exames feitos pelo Instituto Médico Legal (IML). A criança teve uma fratura no pescoço e estava bastante machucada. O pai do garoto também foi ouvido pela Polícia Civil e até o momento não é suspeito de envolvimento no crime.

Olho no ralo

Dois dias após ser detida, a mulher teve novo ataque e arrancou o olho esquerdo com as unhas. Na sequência, ela jogou o olho no ralo do banheiro da cela e acabou sendo imobilizada por policiais ao tentar arrancar também o olho direito.

Ela foi encaminhada à Fundação Banco de Olhos, na capital Goiânia, mas a cirurgia para tentar recuperar a visão do olho direito não obteve sucesso e a mulher ficou cega. Ela aguarda vaga para internação psíquica.

Em nota, a Diretoria-Geral da Administração da Penitenciária (DGAP), informou que a detenta estava sozinha na cela quando se feriu e apresentou alterações psicológicas e emocionais.

A mulher também é mãe de um recém-nascido, que foi encaminhado para Casa de Acolhimento pelo Conselho Tutelar da cidade. O bebê está em posse do Juizado da Infância e Juventude e ainda não foi entregue para familiares.

*Com informações do Estado de Minas 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia