JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 19 de agosto de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Direção de escola aciona polícia para coibir racismo e ameaças

Mensagens em grupo de WhatsApp continham mensagens com conteúdo de intolerância racial e até alusões a ataques contra alunos da escola

26/05/2019 - 00:00:00. - Por Tulio Micheli Última atualização: 26/05/2019 - 17:58:50.

Reprodução


Direção da Escola Monteiro Lobato chegou a promover reunião de alunos, professores e Polícia Militar para tratar do assunto

Polícia Militar precisou ser acionada pela direção da Escola Municipal Monteiro Lobato na sexta-feira (24). O que era para ser um local de troca de experiências e aprendizado se tornou palco de intolerância racial e ameaças absurdas. 

A reportagem teve acesso ao boletim de ocorrência que trazia detalhes de que determinado grupo de alunos estaria planejando ataques a outros estudantes da mesma instituição. Segundo o documento, mensagens em determinado grupo do aplicativo WhatsApp, com o título "Massacre Dessxs Brancxs", continham conteúdo de intolerância racial, sendo que tais mensagens faziam alusão a ataques contra determinados alunos da escola.

Após tomar conhecimento dos fatos, a Polícia Militar compareceu ao local e acompanhou reunião entre alunos, professores e direção na quadra da instituição de ensino. O momento serviu para abordar o tema "racismo", buscando orientar e advertir o grupo de estudantes. Porém, a presença da PM não intimidou determinados alunos, que apresentaram resistência às explanações e tiveram suas suspensões propostas e devem ser analisadas pela direção da escola. Outros alunos chegaram a confirmar que, semanas atrás, ameaças de morte teriam sido promovidas dentro de sala de aula. 

O Conselho Tutelar foi acionado na escola, porém a direção e os policiais foram informados que o órgão só poderia ser acionado pelo delegado de plantão. Os pais e responsáveis pelos alunos qualificados no boletim de ocorrência foram cientificados da situação. O fato deve agora ser repassado à Polícia Civil, que irá investigar o caso.

A Secretaria Municipal de Educação informa que já tomou todas as providências cabíveis em relação ao fato. Os adolescentes ameaçados procuraram a direção da escola para comunicar o ocorrido. Imediatamente a diretora chamou a Polícia Militar para registrar o Boletim de Ocorrência. Ao tomar conhecimento dos fatos, com prints de conversas, a diretora  também convocou os pais dos envolvidos para esclarecimento dos fatos. 

Um dos estudantes, líder do grupo citado, foi afastado por três dias das atividades escolares. E ao retornar na quinta-feira, dia 30 de maio, deverá estar acompanhado dos pais. A diretora e uma psicóloga da Secretaria Municipal de Educação farão um acompanhamento do adolescente, bem como monitoramento dos outros envolvidos. A mãe do adolescente – lider do grupo -  pediu para que ele tenha mais uma chance de continuar na escola, do contrário, a diretora pode  transferi-lo para outra unidade da rede. 

A unidade tem implementada em suas atividades, o programa Escola e Família, que também apoiará as famílias e os estudantes, tentando garantir a integridade de todos. Vale lembrar que, de acordo com os trâmites legais da SEMED, o caso será encaminhado ao Conselho Tutelar e Ministério Público, pois trata-se de ameaça grave.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia