JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 20 de agosto de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Tenente-coronel aponta desvio de conduta do comando da Polícia Militar em Uberaba

Muitas destas denúncias foram direcionadas ao Coronel Peres

15/05/2019 - 15:20:06. - Por Tulio Micheli Última atualização: 15/05/2019 - 15:29:40.

Após vários vídeos que circularam em redes sociais, principalmente em grupos de WhatsApp, trazendo denúncias do tenente-coronel da Polícia Militar Domingos Sávio de Mendonça, contra o comandante da 5ª Região, em Uberaba, Lupércio Peres Dalvas, o caso ganhou mais um episódio, e desta vez na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

O tenente-coronel Mendonça foi ouvido pela Comissão de Segurança Pública da ALMG na terça-feira (14), e voltou a fazer uma série de denúncias envolvendo oficiais da corporação.

O denunciante apontou a ocorrência de corrupção, assédio e perseguição contra subordinados, além de mordomias e privilégios, como o uso indevido de viaturas, a utilização indiscriminada de diárias e a oferta de casas funcionais para altas patentes.

Muitas destas denúncias foram direcionadas ao Coronel Peres. De acordo com Mendonça, esses desvios estariam sendo praticados “com a conivência do comandante-geral da PM”.

“O governador Romeu Zema foi eleito afirmando que iria acabar com mordomias, privilégios e corrupção, mas nada disso está acontecendo”, afirmou Mendonça, que reivindicou um tratamento mais humano na corporação e relatou “grande insatisfação na tropa, na RPM de Uberaba” em razão dos desvios de conduta.

Perseguição

O tenente-coronel disse ainda estar sofrendo perseguição desde que começou a fazer as denúncias publicamente. Segundo relatou, seu telefone foi grampeado e ele vem sendo alvo de críticas nas redes sociais. Na sua opinião, isso estaria ocorrendo pelo fato de defender direitos legítimos dos praças.

Como ele, outros policiais militares também estariam sendo perseguidos e punidos com transferências. Mendonça queixou-se ainda do fato de estar sendo investigado em razão das denúncias que fez, sem que tenha sido sequer chamado para depor.

Apuração

Após tomar conhecimento dos fatos, a reportagem entrou em contato com o Coronel Peres, que optou por não se manifestar neste momento. Peres informou que já está adotando medidas pertinentes quanto aos fatos e que essa discussão acontecerá apenas no campo judicial. O comandante afirmou, ainda, que permanece com seu compromisso de defender a Polícia Militar e, por isso, a instituição merece ser preservada e respeitada.

A reportagem também conversou com o deputado estadual Heli Andrade (PSL), que afirmou que os fatos têm que ser apurados, dada sua gravidade, mas defendeu o amplo direito de defesa dos denunciados e entendeu que, num primeiro momento, não cabe o afastamento, até que seja ouvida a versão dos denunciados.

“Todas as denúncias oferecidas pelo Mendonça são muito graves, porém precisam ser melhor apuradas. Ele apenas foi ouvido pela Comissão de Segurança Pública e não trouxe nenhuma prova do que estava relatando. É um fato que precisa ser tratado com cautela e responsabilidade, uma vez que estamos falando de segurança pública”, explicou o deputado.  

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia